João Pedro Machado lança novo disco a solo

Agora a solo, como João Granola, apresenta novo projeto na Casa da Música, no Porto com sucesso

1.416

João Pedro Machado, natural do Cartaxo, é um músico que já antes demos a conhecer, enquanto membro dos Ambar, projeto que ainda tem muito para dar. Entretanto, surge com o nome João Granola, no seu primeiro projeto a solo ‘O convidado’, que sai no fim do verão com o single ‘A todos’

O primeiro single ‘amigo vaivém’ já saiu, depois de João Granola já ter apresentado o seu disco ao vivo na Casa da Música, no Porto, no passado dia 27 de maio, “que marcou o início deste projeto e correu muito bem”, conta o músico do Cartaxo, sublinhando que “a sala estava muito bem composta e o som, que por vezes impede os músicos de darem um bom concerto, estava impecável. Divertimo-nos bastante e o público pediu para tocarmos mais canções por duas vezes. Quando assim é, qual é a banda que não sai de palco com um indisfarçável sorriso na cara?”

Senti uma emoção que já não sentia há muito tempo. Acho que uma abordagem solitária à composição de canções é o lugar que procurava há anos

O projeto a solo é, “por agora”, o caminho que pretende seguir, diz-nos logo após o concerto no Porto, muito embora não consiga neste momento “dar uma resposta definitiva”. “Senti uma emoção que já não sentia há muito tempo. Acho que uma abordagem solitária à composição de canções é o lugar que procurava há anos”, revela, adiantando, contudo, que “não nego voltar a tocar numa banda, até porque Ambar está parado e não acabado”.

Desde a adolescência que tenho bandas e, de certa forma, quis experimentar trabalhar uma canção de forma diferente, no que à dinâmica da criação diz respeito.

“Desde a adolescência que tenho bandas e, de certa forma, quis experimentar trabalhar uma canção de forma diferente, no que à dinâmica da criação diz respeito. Também comecei a explorar outros instrumentos e comprei um home studio. Tudo somado, misturado e resumido, deu no EP ‘O convidado’, explica João Granola. Segundo nos conta, foi num período de rutura na sua vida profissional, em que sai da empresa onde trabalhava e fica a trabalhar por conta própria, que compôs a maioria das melodias e harmonias deste trabalho, cujas canções “soam a folk, com um bocado de rock”, define.

Nesta produção independente, João Granola diz que “tudo começou com uma placa de som que comprei em segunda mão. A partir dela, na divisão mais pequena da minha casa, fiz a pré-produção. Por diversas vezes, tive que apagar takes porque se ouvia os aviões a passarem por cima de casa. Em concreto, gravei guitarras, baixo, teclados, sopros e vozes para essa placa e, graças aos tutoriais na internet e ao métodos tentativa e erro, produzi uma demo. As baterias pedi ao Tomás Borralho (baterista de Ambar) que as gravasse na nossa sala de ensaios e eu fiz a captação. Tudo num par de horas e de forma muito naive”.

Com a demo na mão, mostrei a uma mão cheia de gente no mundo da música e o feedback entusiasmou-me

Ultrapassados os contratempos, já “com a demo na mão, mostrei a uma mão cheia de gente no mundo da música e o feedback entusiasmou-me”, conta o músico, que partiu para Portalegre, para fazer as gravações finais num estúdio profissional do produtor João P. Miranda. “Recomeçámos do zero e gravámos as mesmas canções, mas agora com material profissional. Fiz umas gravações adicionais na minha casa de Lisboa e no Cartaxo, com o meu amigo João Dionísio que também foram incluídas no trabalho final”. João Granola fez ainda um vídeo de apresentação do primeiro single, “gravado pelo amigo Vasco Medinas na minha casa do Cartaxo, enquanto as fotos promocionais (também aí tiradas) e o artwork foram realizados pela minha noiva Maria Joana Vilela”.

O disco sai em setembro no dia 25, “é nesse dia que um grande amigo faz anos e, como vive fora do País, acho que é uma boa forma de garantir que o dia vai ser bom”, refere. ‘O convidado’ pode ser adquirido nos concertos e através da internet. João Granola espera divertir-se muito na apresentação deste seu novo projeto “e tocá-lo muito ao vivo”. E, sempre que houver cachet que o permita leva consigo para o palco os músicos com quem ensaia: Tomás Borralho, Artur Correia, Philippe Pedrosa e Maria Joana Vilela. Sabemos que quer apresentar este novo projeto ao vivo no Cartaxo e adianta: “estou a trabalhar nisso neste momento. Acontecerá antes ou depois do verão, assim o espero”, garantindo que ficaremos a saber assim que houver uma confirmação. Ficamos a aguardar!

Pode gostar também