Juntos pela Mudança confiantes na vitória

Um almoço informal, ao ar livre, foi a escolha dos Juntos pela Mudança para reunir candidatos e apoiantes num “momento de festa e de convívio”

971

Centenas de pessoas participaram este domingo (24) no almoço convívio da coligação Juntos pela Mudança – PSD e Nós Cidadãos – no Jardim da Quinta das Pratas, com muita música, animação e “vontade de mudança”

Um almoço informal, ao ar livre, foi a escolha dos Juntos pela Mudança para reunir candidatos e apoiantes num “momento de festa e de convívio”, como definiu o candidato à Câmara Municipal do Cartaxo, Jorge Gaspar, durante o discurso que havia de fazer antes da sobremesa.

Três porcos no assador, salgadinhos, canja e mais de dois mil pães satisfizeram os mais de 500 convivas que ali estiveram, naquele dia de calor, para apoiar a coligação PSD e Nós Cidadãos, cujos candidatos, todos identificados com uma t-shirt azul da candidatura, foram os organizadores, os anfitriões e os responsáveis pelo serviço de bebidas e comida, assim como pela manutenção do espaço, que se manteve sempre limpo.

Ocupando toda a área do jardim, em volta do coreto, onde inicialmente tocou a Banda Filarmónica do Cartaxo, havia gente sentada, gente de pé, num convívio de diferentes gerações que não deixou de parte os mais pequenos que ali também tiveram um espaço com diferentes atividades. Grande parte dos convivas, vindos de todo o concelho, usava o chapéu de palha dos Juntos pela Mudança, oferecido à entrada e o qual serviu de indicador do número de pessoas ali presentes – segundo elementos da Juventude Social Democrata, que também estiveram a receber as pessoas, foram distribuídos à entrada 500 chapéus, sendo que ainda havia muitas pessoas com a cabeça descoberta.

Duas horas após o início do almoço, Jorge Gaspar subia ao coreto para falar aos seus apoiantes, não sem antes chamar até si os candidatos que o acompanharam nos cerca de vinte minutos de discurso, onde mais do que uma vez apelou ao voto de todos, acima de tudo nos “descrentes”, naquela que diz ser “numa alternativa que não se prende com o passado mas que procura projetar pontes para o futuro”. O candidato à presidência da Câmara do Cartaxo falou em nome da equipa dos Juntos pela Mudança, porque “nós temos equipas, nós não temos individualidades; nós temos projetos para o concelho, nós não temos projetos pessoais nem partidários. Pensamos nas pessoas, pensamos no concelho, não pensamos em mais nada”. E é precisamente por isso, reforçou, “que temos uma coligação formada por dois partidos, o PSD e o Nós Cidadãos, mas que é fundamentalmente, também, uma coligação com a sociedade civil do concelho do Cartaxo. Com cada uma das pessoas do Cartaxo que sente descrença, que sente desconfiança, que sente falta de vontade para mudar, mas que tem perceber que há aqui uma alternativa e uma porta aberta para o futuro e que é por aí que todos temos que entrar”.

Segundo Jorge Gaspar, há um fio condutor na sua equipa e no seu projeto que os “une a todos de uma forma muito sólida” e que diz ser “a vontade de fazer mais, de fazer melhor; a vontade de fazer pelas pessoas, pelo concelho, pelas freguesias, pelas suas instituições e associações e pelas empresas que temos no nosso concelho. Nós sabemos que para termos um concelho desenvolvido precisamos de ter empresas a vir para o Cartaxo, mas temos também de manter as empresas que já estão no Cartaxo”, criticando a atual gestão do concelho no que diz respeito, nomeadamente, aos impostos municipais. “Nas contas publicadas pela Câmara Municipal, no que toca ao primeiro semestre deste ano, há uma receita de imposto que sobe, que é do IMI, das nossas casas, e há dois que descem: que é o da derrama e o IMT. Ou seja, tudo o que tem a ver com dinamismo económico, baixa; tudo aquilo que tem que ver com elementos estáticos, parados, sobe”, constatou o candidato. “Nós sabemos que muito tem que mudar no nosso concelho, para que o concelho e as suas freguesias progridam. Para que os que cá vivemos, que cá trabalhamos, que cá temos as nossas famílias possamos ter um futuro que assegure aquilo que cada um de nós espera: felicidade. É para isso que nós trabalhamos para dar felicidade às pessoas, mas não de uma forma vazia”, assegurou.

Leia Também  Eleitos na Ereira e Lapa tomaram posse

A terminar o discurso, sempre muito aplaudido pelos presentes, Jorge Gaspar, que diz não acreditar “em sacos de votos”, mas acreditar “no 25 de Abril que nos ensinou: um homem, um voto; uma mulher, um voto”, afirmou que “o nosso projeto é um projeto de alma, de coração, de sentimento, de proximidade e para as pessoas”, reforçando que “é esta alma e este sentimento que, seguramente, com o voto de cada um de vós nos vai levar à vitória no dia 1 de outubro e vai conduzir o Cartaxo a um futuro que honra as suas origens, que honra a sua tradição e que acima de tudo honra as suas gentes”.

Como havia sido prometido, após o discurso e depois de todos os candidatos presentes subirem ao coreto juntando-se à restante equipa que ali reforçou as palavras do líder da coligação, seriam servidas as sobremesas, dezenas de doces e bolos variados, confecionados pelos candidatos do Juntos pela Mudança. E, assim, a festa continuou pela tarde fora, com música popular que levou alguns a dançar, entre os quais Jorge Gaspar, que neste dia de convívio popular, onde não faltaram vários elementos históricos do PSD Cartaxo, assim como o presidente da distrital do PSD, Nuno Serra, se mostrou muito confiante e com “um grande orgulho” naquele momento que “simboliza e marca, de uma forma muito evidente, aquele que é o nosso espírito: um espírito de abertura, de inovação, de proximidade, de colaboração – de todos acharmos que cada um de nós é importante, de todos acharmos que cada um de nós conta, de todos acharmos que cada um de nós vale o seu voto. Esse é o espírito da candidatura Juntos pela Mudança”.

Pode gostar também