Regresso à escola

Opinião de Augusto Parreira

“Nem tudo o que se enfrenta pode ser modificado. Mas nada pode ser modificado até que seja enfrentado” ALBERTO EINSTEIN

Para que a Escola cumpra, na plenitude, a sua função de instruir e educar, é vital instituir e aprofundar um clima de confiança, colaboração e entreajuda entre todos os atores da comunidade educativa, de modo a dotar os nossos jovens das qualificações e das capacidades que lhes permitam enfrentar e superar as dificuldades de uma sociedade em permanente mudança.

Hoje, esta sociedade é alienada, pragmática, materialista, focalizada na ascensão social e profissional, onde sobressai o individualismo e a competitividade em detrimento de uma formação humanística, alicerçada em valores como a integridade, a honestidade, a amizade e a solidariedade.

Num ambiente de cooperação e colaboração entre todos os elementos da comunidade educativa, é desejável que transformemos as nossas escolas num projeto comum de melhorias das aprendizagens das nossas crianças e jovens.

Sabemos que não é fácil contrariar a tendência para o facilitismo, despertar o interesse dos alunos para o conhecimento, incutir comportamentos disciplinados.

Numa visão estratégica e interventiva, devemos procurar o envolvimento da comunidade e o estabelecimento de parcerias para ações e projetos conjuntos, visando a melhoria do serviço público que prestamos à comunidade.

Mais artigos
1 De 295

Assim devemos contemplar o desenvolvimento de ações e atividades que contribuam para a promoção da melhoria dos resultados escolares, da formação integral dos alunos, da igualdade de oportunidades, da melhoria dos índices de permanência dos alunos no sistema e na vontade de aprofundar as relações com as instituições e entidades da nossa comunidade, cujos contributos possam constituir uma mais-valia para TODOS.

Apesar das dificuldades que enfrentamos, não podemos desanimar e juntos, temos que acreditar que somos capazes, de fortalecer o nosso espírito de colaboração e partilha para que os objetivos almejados nos diferentes projetos sejam alcançados com sucesso.

Nesta caminhada vamos precisar de perseverança, senso de compromisso, dedicação e responsabilidade.

É sabido, que nesta viagem e aventura ao mundo das letras, dos números, da ciência, da imaginação, da fantasia e do conhecimento, experiências felizes e gratificantes ao longo dos anos de escolaridade ditam relações positivas com a escola e contribuem decisivamente para o sucesso escolar e para um relacionamento interpessoal sadio e pacífico.

Sendo que fazemos todos, parte da solução e de uma grande “família” constituída por assistentes técnicos e operacionais dedicados, pais e encarregados de educação interventivos e exigentes, professores competentes, colaborantes e determinados, autarcas e parceiros responsáveis, disponíveis e interessados, é nossa vontade e obrigação atingir os níveis de sucesso à altura do nosso trabalho e dedicação.

Esperemos pois, que cada um de nós, cada um de vós, siga os seus próprios passos, trilhe novos caminhos, ouse, transforme.

 

Crónica publicada na edição de outubro do Jornal de Cá.

Pode gostar também

Comentários estão fechados.