A jangada de pedra do Syriza

Opinião de Jorge Honório

A Jangada de Pedra é um romance de José Saramago que conta a história ficcional da separação geográfica da Península Ibérica do restante continente europeu; a separação geográfica é uma alusão ao que Saramago previa ocorrer face à unificação da Europa, onde os países ibéricos estavam postos de lado, navegando à deriva sem se identificarem cultural, social ou economicamente com o restante do continente.

Tal como outros designados grandes visionários marxistas, Saramago estava equivocado: os portugueses, os espanhóis e os gregos não querem abandonar a União Europeia e muito menos uma ditadura de esquerda ou de direita; tampouco os restantes europeus nos querem de fora. Todas as sondagens evidenciam isto.
Os gregos manifestaram um forte desejo de correr com a velha classe dirigente; em desespero, digo eu, escolheram caras novas, da extrema-esquerda e da extrema-direita, como quem diz ‘perdido por um, perdido por mil’. Mas em vez de acabarem com a austeridade, ou saem do euro ou vão para um terceiro resgate!

A arte da sinonímia política
Com o Syriza desabrochou uma nova esperança esquerdista assim como o recurso a sinónimos de palavras politicamente queimadas, salvatério que se recomenda às pessoas de esquerda ou que se dizem de tal. Passo a indicar as alterações mais mediáticas, a que iremos observar na próxima campanha eleitoral:
«Memorando» por «Documento de Entendimento»; «Programa de Resgate» por «Acordo entre Parceiros»; «Cumprir o Programa» por «Cumprir o Acordo»; «Troika» por «Instâncias Internacionais»; «Austeridade» por «Rigor Orçamental»; «Perda de Soberania» por «Políticas Concertadas»; «Protetorado» por «Parceria Europeia»; «Conto de Crianças» por «Políticas de Desenvolvimento».

Este pessoal dito de esquerda até já descobriu como diminuir a dívida pública mantendo um défice orçamental… o santo graal da economia… mentes brilhantes! Serão os mesmos que profetizaram a espiral recessiva e se esfumaram de repente?
Esta esquerda é um espanto… e hoje em dia precisa de tão pouco para ser feliz!

Pode gostar também

Comentários estão fechados.