“A Junta deve ser mais proativa”

“A União de Freguesias Cartaxo e Vale da Pinta e o seu executivo estão muito subalternizados relativamente à Câmara Municipal”, considera Pedro Mesquita Lopes. O eleito pela oposição à Assembleia de Freguesia e à Assembleia Municipal do Cartaxo tece alguns elogios ao executivo de Délio Pereira, mas gostava que este fosse mais proativo e mais reivindicativo perante o executivo camarário, que, por sua vez, acusa de ter “muita falta de cuidado pela cidade e pelo concelho”

Pedro Mesquita Lopes, natural do Cartaxo, é advogado e foi eleito nas últimas eleições autárquicas, pela Coligação Juntos pela Mudança (PSD/NC), à Assembleia da União de Freguesias Cartaxo e Vale da Pinta e à Assembleia Municipal do Cartaxo, como independente e em primeiro lugar na lista de candidatura à União de Freguesias Cartaxo e Vale da Pinta. Esta é a sua primeira experiência autárquica, e tem gostado, ainda que “desapontado com a Assembleia Municipal, por os membros desta assembleia estarem sempre em inferioridade relativamente ao presidente da Câmara”. Na Assembleia de Freguesia diz que “há uma maior abertura para discutir as coisas”, mas “que cai tudo em saco roto” pela “inação ou falta de poder reivindicativo do presidente da União de Freguesias quanto à Câmara”.


Uma entrevista para ler na edição de fevereiro do Jornal de Cá. Esta sexta-feira, nas bancas do concelho do Cartaxo


Saiba aqui como receber o Jornal de Cá

Pode gostar também

Comentários estão fechados.