A somatização do sentir

Por Sónia Parente

As doenças psicossomáticas são manifestações físicas que são provocadas ou agravadas por problemas do foro emocional. É uma doença física verdadeira mas com causa psicológica. Acontecem quando uma pessoa por ter dificuldade em expressar as suas emoções, por ter tendência a reprimi-las ou por não conseguir exteriorizar os seus conflitos de forma adequada, transfere para o organismo o seu mau estar psicológico. O que deve mas não consegue ser resolvido na mente é transferido para o organismo, manifestando-se através de sintomas físicos.

Podem surgir em qualquer pessoa e em qualquer idade e fazem, por vezes, com que essa pessoa consulte médicos de várias especialidades e nunca consiga descobrir qual a razão do seu mau estar físico, já que os sintomas são verdadeiramente reais. Não são doenças que as pessoas inventam porque os sintomas são reais, porém, quando surgem com frequência, ao longo do tempo podem tornar-se formas repetitivas a que a pessoa se habituou a recorrer para resolver conflitos psicológicos.

Há pessoas com maior tendência para somatizar do que outras: as que têm maior tendência para “implodir” do que para “explodir”, o que não sai pela boca manifesta-se no corpo.

Embora qualquer pessoa possa somatizar em alturas de maior ansiedade, frustração, zanga e tantas outras, as doenças psicossomáticas surgem, especialmente, quando a pessoa guarda esses sentimentos para si, quando não os verbaliza, e não toma qualquer atitude que possa facilitar a resolução do conflito que está gerar esses sentimentos.

Para descobrir se a doença ou os sintomas são do foro psicossomático, primeiro deverão ser realizados todos os exames de despiste das causas físicas dos sintomas verificados. Caso os resultados nunca sejam conclusivos, deve-se tentar perceber o que lhes está a dar origem, ou seja, quando os sintomas tiveram início ou perante que tipo de situações e sentimentos eles surgem com maior frequência. É importante salientar que uma pessoa com tendência a somatizar as suas emoções pode também ter uma doença real que poderá passar despercebida devido às suas constantes queixas sem causa definida.

Mais artigos
1 De 295

Frequentemente, as pessoas não se apercebem da sua tendência para a somatização dos seus problemas emocionais, focam-se somente nos sintomas físicos e recusam que o problema possa ser psicológico. No entanto, é importante procurar um psicólogo que ajude a lidar com as emoções e conflitos de modo a resolvê-los, já que muitas vezes são sentimentos inconscientes.


Sónia Parente é psicóloga clínica

Pode gostar também

Comentários estão fechados.