A viragem

Opinião de João Fróis

Escrevo em plena noite de eleições autárquicas e ainda no calor do apuramento de resultados. Tendo amigos em várias das candidaturas e vivendo a 350 km do Cartaxo, olho com o conforto da distância e a imparcialidade própria de quem já não vota na terra onde se fez homem.

Está a escrever-se história no Cartaxo, com a vitória do PSD, algo que muitos duvidaram durante largas dezenas de anos e que surge agora como a grande novidade política de toda a região. Não cabe aqui analisar números e dados, antes realçar a dinâmica da democracia e a demonstração da mudança dos tempos.

Se nas eleições legislativas o peso dos partidos é normalmente prevalente, a nível autárquico existe uma oscilação tensa entre a personalidade individual dos candidatos e as cores políticas que o sustentam. Em largas dezenas de municípios a vitória caiu ao longo dos anos sempre para as mesmas cores, sendo quase indiferente o rosto que assumia a demanda. O Cartaxo era um desses bastiões onde invariavelmente o PS ganhava com folga e sem espaço a dúvidas. Mas esse legado ficou marcado por gestões desastrosas a nível financeiro e que caucionaram o futuro de uma jovem cidade que ainda tentava sarar das feridas que o desaparecimento de muitas das suas empresas industriais tinha deixado.

Muito se irá com certeza escrever sobre os porquês de neste dia o Cartaxo ter mudado a sua orientação política. Todas as opiniões terão o seu espaço e umas mais que outras irão acertar nas razões profundas de o escrutínio ter dado a vitória ao PSD na Câmara Municipal, na Assembleia e na Junta de Freguesia.

Cabe acima de tudo dar os parabéns a todos os intervenientes, com particular destaque aos vencedores e endereçar uma palavra de apreço aos vencidos e que comandaram os destinos da terra nos últimos mandatos.

Ler
1 De 335

Acima do mais que seja o Cartaxo e as suas boas gentes a saírem vencedores. A democracia tem esta magia de dar expressão à “voxpopuli”, juntando vontades e dando crédito a projetos e pessoas que se comprometem a dar o seu melhor em prol de todos os congéneres eleitores e decisores democráticos ativos. Ganhou com certeza a democracia, saindo reforçada pelo pleno exercício do direito de voto e da sua livre expressão nas urnas.

Uma palavra de esperança para todos os cartaxeiros. Que possam contribuir para o renascer da cidade e concelho, gerando coesão social, mais e melhores oportunidades para fixar cidadãos na terra e maior atratividade para empresas e investimento. E que assim, esta terra de gente boa e nome de ave, possa almejar novos voos e recuperar parte do brilho e vida que teve outrora. Um grande bem haja a todos os Cartaxeiros. Viva o Cartaxo!

*Artigo publicado na edição de outubro do Jornal de Cá.

Pode gostar também