Agora a sério: aprende a amar-te

Por Ricardo Magalhães

Se queres viver uma vida extraordinária: aprende a amar-te! Por si só não chega, mas é a base de tudo! Seja felicidade, confiança, coragem ou paz de espírito que estejas à procura, vale bem a pena tomar isto em consideração!

Então é assim, mais que estar aqui com um discurso extremamente teórico e abstrato, vou dar aqui o meu testemunho pessoal que (apesar de bem mais desconfortável) deixa tudo muito mais claro. Não sei quando tudo começou, mas tenho o maior e mais profundo amor incondicional por mim mesmo! Ao contrário da realidade que muita gente infelizmente encontra, não terá sido difícil para mim desenvolver esse sentimento, uma vez que sempre tive à minha volta um contexto familiar e social que me fez desde muito cedo sentir valorizado, especial e incondicionalmente amado por quem sou!

Acho que esse é mesmo o primeiro ponto, aquilo que vou aqui apresentar é um pouco da minha realidade, a qual poderá ser muito distinta da vossa. Não a partilho aqui por necessitarem de viver uma similar à minha para serem felizes. Partilho-a para mostrar como desenvolvi esse amor próprio e o impacto que teve na minha vida. Mas o ponto chave é mesmo desenvolverem esse amor próprio para poderem colher os seus frutos! A forma como o desenvolvem é pessoal e única! A vida desconhece sentido de justiça e para uns será mais difícil que para outros, mas para todos é possível!

Conheço pessoas para quem a forma de desenvolverem esse amor próprio foi desafiarem-se a ser melhores e irem de encontro à pessoa com que se identificam na sua essência! E rodearem-se de pessoas que incentivam essas mesmas características, para que todo esse trabalho individual saia potenciado pelo grupo! (Se quiserem desenvolver este tema um pouco mais, façam-me chegar mensagem!)

Impactos do amor próprio, infinito e incondicional na minha vida:

1) Sinto muito pouco a necessidade de provar algo aos outros. Como tal, as minhas decisões são sempre alinhadas com aquilo em que acredito, com os meus sonhos e com aquilo que me faz verdadeiramente feliz;

Ler
1 De 383

2) Incentiva-me a ser uma pessoa melhor e a olhar-me como um work-in-progress. Aprenderes a amar-te como és, com todas as tuas imperfeições e peculiaridades, significa por um lado reconhecê-las e, sendo algo a melhorar, faz-te querer ser melhor. Por outro lado, permite-te olhar com empatia o facto de seres imperfeito e olhar com admiração infinita o facto de quereres ser melhor todos os dias;

3) Não julgar-me e tomar o leme da minha vida. Respeitares os teus erros e imperfeições, permite-te ter empatia e não ser demasiado duro contigo! Deixa por isso de ser tão doloroso assumires a responsabilidade pela tua vida e pelos teus erros e revelar-te como o criador do teu destino e conquistas;

4) Acreditar em mim, no meu valor e potencial. Quem se ama a si mesmo vê-se como único e especial! Tem um carinho enorme por tudo em si, desde as suas peculiaridades mais caricatas aos seus maiores talentos e atributos! E acredita que tem algo de único a acrescentar ao mundo!

Isuvol
Pode gostar também