Agrupamento comprometido com o futuro

Opinião de Jorge Tavares

Quando tanto se fala da dívida do concelho do Cartaxo, neste tempo roubado ao futuro, o Agrupamento de Escolas Marcelino do Cartaxo vai solidificando a sua posição de destaque no panorama educativo regional e nacional. O Cartaxo encontrou no seu Agrupamento de Escolas o timoneiro da esperança de encontrar melhores dias que possam devolver à “capital do vinho” o brilho de outros tempos. A educação foi, é, e sempre será um capital de esperança.

A subida sustentada da Escola Secundária do Cartaxo nos rankings do ensino secundário associado à oferta educativa de excelência de todo o Agrupamento respondendo, assim, aos anseios e às necessidades de todos os alunos faz do Agrupamento do Cartaxo “uma referência” nas palavras do Sr. Secretário de Estado da Educação, Professor Doutor João Costa que visitou, recentemente, o Agrupamento na ocasião do seu 13º aniversário. A escolha do Cartaxo para acolher as finais distritais do Parlamento Jovem diz bem da grandeza e do patamar de qualidade que o Agrupamento granjeia junto dos responsáveis ministeriais.

O olhar em frente, a mobilização coletiva, a partilha de dificuldades, o redefinir de estratégias associado a um inconformismo próprio de quem tem 13 anos atirou-nos para um patamar de responsabilidades a que não podemos ficar alheios.

Entender-se como prioridade a formação de adultos foi o desígnio para a criação do Centro Qualifica na Escola Secundária. Isso, diz bem, de como é encarada a responsabilidade social do Agrupamento.

Apesar dos esforços das direções, dos professores e dos alunos de artes a Escola Secundária, apresenta sinais claros de degradação ao nível das instalações, próprio de cerca de três décadas e meia de utilização. A Direção do Agrupamento há muito que vem alertando as entidades competentes para uma intervenção na Escola Secundária. Com um suplemento de alma ficámos com a tomada de posição da Assembleia Municipal, ao entender, de forma unânime que essa necessidade de intervenção era prioritária e urgente. A Câmara Municipal dilatou-nos a esperança ao sabermos que transmitiu ao Ministério da Educação a disposição na comparticipação do financiamento da obra.

Depois da construção da Escola Básica Marcelino Mesquita associado às obras de intervenção que as Escolas Básicas do 1º ciclo José Tagarro e de Vila Chã de Ourique têm tido com o apoio das respetivas Juntas de Freguesia a que já se juntou a retirada das placas de fibrocimento e a colocação do novo pavimento no pavilhão da Escola Secundária a recuperação do edifício desta escola assegura-se-nos como sendo o nosso maior desafio.

Mais artigos
1 De 295

É nossa convicção de a soma das nossas vontades irá fazer a diferença. Estamos mobilizados para grandes desafios. A recuperação da Escola Secundária alimenta a nossa espectativa. Vivemos entre o fascínio do presente e o sonho do futuro.

Artigo publicado na edição de abril do Jornal de Cá.

Pode gostar também

Comentários estão fechados.