Ai Jesus que se apagou a luz volta ao Centro Cultural

A comédia, que a Área de Serviço leva à cena na sexta-feira e no sábado pelas 21h30, é mesmo imperdível!

“Ai Jesus que se apagou a luz” regressa este fim de semana ao Centro Cultural do Cartaxo para as suas duas últimas apresentações.

A comédia, que a Área de Serviço leva à cena na sexta-feira e no sábado pelas 21h30, é mesmo imperdível!

Da autoria de Peter Schaffer, é uma comédia hilariante onde tudo corre mesmo mal, menos a intenção de levar o espetador às lágrimas.

O jovem escultor George Miller (André Diogo) e a sua noiva, Carol (Sara Inês), estão a fazer uma pequena festa com o objetivo de impressionar o intempestivo pai de Carol, o coronel Melkett (Mário Júlio Reis) e o milionário Georg Bamberger (Frederico Corado). Eles esperam que os dois homens possam comprar algumas das esculturas de Brindsley. Sem pedir ao seu vizinho, Harold (Carlos Ramos), vão buscar os móveis a sua casa para tornar o seu próprio apartamento mais apresentável. Pouco antes da chegada dos convidados, um fusível rebenta, mergulhando todo o plano na escuridão. O que se segue é uma correria frenética com visitantes inesperados, identidades trocadas e surpresas à espreita em todos os cantos sombrios!

A juntar a isto, o funcionário da companhia elétrica (Mauro Cebolo) – que só queria arranjar o fusível – é confundido com um milionário apreciador de arte, a vizinha (Rosário Narciso), filha de um pastor Batista e abstémia descobre os prazeres do álcool, e a ex-namorada (Mónica Coelho) – ou será que não é assim tão ex? – regressa de uma estadia por países nórdicos. A confusão está instalada! Como é que George Miller vai sair desta trapalhada? O melhor é mesmo ir ver com os seus próprios olhos. Garantimos que, quando sair, virá muito bem disposto!

A adaptação e a encenação são de Frederico Corado.

Mais artigos
1 De 121
Pode gostar também

Comentários estão fechados.