Altos e baixos do colesterol

Ter uma alimentação cuidada, com mais cereais, vegetais, frutas e menos gorduras, em especial as saturadas, assim como fazer exercício físico, ajuda a manter equilibrados os níveis de colesterol no sangue, prevenindo as doenças cardiovasculares

bacon-egg-and-cheese-biscuit-702813_1920

O colesterol é uma substância cerácea, semelhante às gorduras, transportada pelo sangue para todas as células do organismo, que necessita do colesterol para o desenvolvimento das paredes celulares e para o desempenho de outras das suas funções importantes. O colesterol apresenta-se de duas formas distintas, por se revestir de lipoproteínas que facilitam o seu transporte no sangue, denominadas por lipoproteína de alta densidade (HDL-colesterol), e lipoproteína de baixa densidade (LDL-colesterol).

Há dois tipos de colesterol: o que é produzido pelo próprio organismo, através do fígado que, normalmente, produz as quantidades suficientes; e o que se assimila através dos alimentos, em produtos de origem animal, tais como, as carnes, o leite gordo, o queijo, a manteiga e os ovos. Alimentos com gorduras saturadas (frequentemente encontradas em produtos de origem animal) devem ser evitados, pois fornecem quantidades suplementares de colesterol que poderão ser superiores às quantidades necessárias ao organismo. O que se pretende é que o HDL seja “elevado” e o LDL seja “baixo”.

Quando os níveis de colesterol são elevados (hipercolesterolemia) surge um maior risco de doenças cardíacas. E ninguém está livre. Qualquer pessoa a partir dos 20 anos de idade deve fazer análises, pelo menos de cinco em cinco anos, seja ativa ou magra, jovem ou idosa. O colesterol elevado pode fazer parte do código genético, mesmo quando se tem uma alimentação correta e se pratica exercício físico. Segundo as autoridades de saúde, uma em cada cinco pessoas tem colesterol elevado (acima de 190).

Com o tempo, o colesterol em excesso deposita-se nas paredes das artérias (ver caixa) e vai formando placas, que provocam o estreitamento das artérias e diminuem o afluxo de sangue ao coração, daí o risco de colapso cardíaco. Para ajudar a prevenir esta e outras complicações de saúde, existem diversos profissionais de saúde, sendo os dietistas ou nutricionistas os mais indicados.

Gorduras no sangue
Existem diferentes tipos de colesterol e de gorduras com efeitos distintos. Há dois tipos de colesterol: o mau e o bom. O primeiro, LDL (lipoproteína de baixa densidade) é conhecido como “colesterol mau”, porque em excesso deposita-se nas artérias e pode provocar problemas cardíacos. O ideal é que este tipo de colesterol se mantenha num nível baixo, contrariamente ao outro tipo – HDL (lipoproteína de alta densidade), designado por “colesterol bom”. Este elimina o colesterol presente no sangue daí que os seus níveis devam ser elevados.

Um outro tipo de gorduras presente na corrente sanguínea são os triglicéridos. A maioria do tecido adiposo do corpo é composto por triglicéridos, utilizados sob a forma de energia. Provêm basicamente das gorduras dos alimentos e devem ser controlados e mantidos em níveis baixos. Normalmente, quando os seus níveis são elevados há também altos níveis de LDL -colesterol, o que aumenta risco de doença cardíaca.


 

Comentários estão fechados.