Alunos da secundária desenvolvem materiais didáticos na Eslovénia

O Agrupamento Marcelino Mesquita do Cartaxo esteve representado na última mobilidade do projeto Erasmus MEYE, na Eslovénia, de 9 a 13 de maio. Uma “semana intensa de trabalho” e conhecimento que se revelou “uma experiência única” para alunos e professoras, que agora nos contam como foi.

Este projeto, iniciado antes da pandemia, teve como base o ensino da matemática nos primeiros anos de educação – ensino pré-escolar. Os quatro alunos do 10º e 11º ano do ensino profissional, juntamente com as professoras Carla Simões e Ana Isabel Vieira, foram desafiados a participar nas várias atividades que decorreram ao longo daquela semana em Celje.

Para além da comitiva portuguesa, a escola espanhola CIPFP de Faitanar, a escola Gimnazija da Eslovénia, o jardim de infância Zarja em Celje, a Universidade de Valência e a Universidade de Varsóvia fizeram parte deste projeto, cujo objetivo é criar produtos intelectuais inovadores, através da partilha e da experiência enriquecedora entre todos.

“Produzimos diversos materiais didáticos inovadores, no sentido de melhorar a educação e o gosto pela matemática. Foram aplicados conteúdos de ciências e de expressão plástica testados em contexto real, com crianças desde o infantário ao pré-escolar (de um a cinco anos)”.

 “Foi uma semana intensa de trabalho colaborativo, mas também de conhecimento da cultura deste povo afável, onde nos foi mostrado o gosto do ensino pela música, pelas artes em geral e em especial, o respeito que têm pela natureza. Descobrimos grutas, castelos, histórias e lendas do país, alguns monumentos e fizemos um passeio na floresta que rodeia esta cidade, a qual também serviu de cenário para a implementação de uma panóplia de atividades lúdicas, articulando vários saberes, das ciências às artes, matemática e línguas estrangeiras.”

O acolhimento feito ao grupo do projeto MEYE “foi enorme, todo o trabalho esteve muito bem organizado e os nossos alunos vieram muito satisfeitos por terem feito parte desta experiência única, que será um marco nas suas vidas, quer académicas quer pessoais”.

Pode gostar também