Alunos do Cartaxo são padeiros por um dia

 

Para assinalar o Dia da Alimentação, celebrado ontem (16 de outubro) em mais de 150 países, os alunos da Escola Básica nº2 do Cartaxo passaram a manhã a fazer pão que depois viram cozer nos fornos da Sociedade de Padarias do Cartaxo.

[acx_slideshow name=”Dia da Alimentacao 2016 alunos padeiros por um dia”]

Das 9h às 13h, desta segunda-feira (17), o refeitório da Escola Básica nº2 do Cartaxo transformou-se numa padaria à antiga, onde mais de cem crianças aprenderam a fazer pão, com as próprias mãos. O trabalho fez-se por turnos; os alunos do 1º ano fizeram a primeira fornada e, pelo que sabemos, comportaram-se muito bem e pouco se sujaram nesta tarefa que implica muita farinha nas mãos. O grupo seguinte, do 2º ano de escolaridade, também resolveu bem a tarefa, mas já com farinha a chegar aos cotovelos.

O Jornal de Cá acompanhou os dois grupos seguintes de pequenos padeiros, na escola, onde aprenderam como se faz o pão, conhecendo melhor os seus ingredientes, assim como a amassá-los. Para alguns não foi uma experiência nova, mas foi bastante divertido. E sério! Antes de pôr as mãos na massa, todos, em fila indiana, equiparam-se com avental e touca na cabeça e lavaram as mãos. Depois de divididos por mesas, em grupos de cerca de dez alunos, depararam-se com um grande alguidar de loiça, água, farinha, sal e fermento, ingrediente que lhes foi dado a cheirar, e que muitos disseram cheirar a azedo. Só depois puseram as mãos na massa, com a ajuda de algumas mães, entre as quais Vanda Correia, proprietária da Padeirinha e que ensinou como fazer pão, e dos professores Rui Pedro, do 3º ano, e Dorinda Alexandre, do 4º ano. Depois de amassada, e de uns minutos de descanso, é altura de cada um fazer a sua bolinha de massa, pô-la no tabuleiro e levá-la a cozer aos fornos da Sociedade de Padarias do Cartaxo, mas não sem antes provar um bocadinho deste pão ainda cru que, por sinal, até é bom.

Fazer pão foi muito divertido para estes meninos e meninas que, sem exceção, gostam muito deste alimento. Só não acharam muita graça à massa que fica agarrada às mãos, mesmo depois de lavarem as mãos. Ainda assim, este e outros incovenientes, como a força de braços e mãos para amassar, serviram para mostrar a estas crianças que para haver pão para comer há trabalho e esforço na sua confeção.

Mais artigos
1 De 163

Também divertida foi a parte de cozer o pão. À chegada do grupo do 4º ano à Sociedade Padarias do Cartaxo estavam de saída os alunos do 3º ano, com o seu pão já cozido, ainda quentinho e muito apetitoso. Tal como este grupo, e enquanto se cozia o pão, os alunos mais velhos também visitaram as instalações das Padarias, ficando a conhecer todas as fases da feitura do pão, mas agora de forma industrial, com a ajuda de várias máquinas.

Este foi um dia diferente para todos estes meninos que dificilmente esquecerão a experiência, preparada, em conjunto, pela directora da escola, professores titulares de turma, encarregados de educação e assistentes operacionais e dinamizada pelas encarregadas de educação da turma do 4ª A, Vanda Correia e Filipa Oliveira, com o objectivo de “proporcionar aos alunos a experiência de fazer eles próprios o pão”. Agora que aprenderam querem voltar a experimentar, embora algumas meninas prefiram repetir a experiência em casa, mas com o robô de cozinha.

Pode gostar também

Comentários estão fechados.