Saneamento no topo das preocupações na Ereira e Lapa

A reunião de Câmara desta segunda-feira, 2 de dezembro, realizou-se no Centro Social e Paroquial da Ereira, naquela que foi mais uma sessão descentralizada das reuniões dos eleitos no corrente mandato.

A ocasião foi aproveitada pelo presidente da União de Freguesias Ereira e Lapa, João Nunes, para questionar o presidente da Câmara Municipal sobre os locais que não foram contemplados com obras de saneamento na Ereira e na Lapa, como a Rua das Palmeiras, a Rua João Damião, parte da Rua dos Areeiros e parte da Rua do Casalinho, todas na Ereira, “mais ou menos, 2.000 metros lineares”, acrescentando que as obras de saneamento nestas ruas iriam abranger cerca de 30 habitações. Na Lapa, “a situação, no meu entender, é mais volumosa, tendo ficado muito saneamento para trás”. As ruas que não foram contempladas nesta primeira fase foram as ruas do Regato, do Progresso, da Carrasqueira, da Capela, 25 de Abril, das Boas Vistas e Travessa do Matias. Neste caso, são “6.000 metros lineares”. Ainda assim, João Nunes confessou que “o que mais me apoquenta nesta freguesia da Lapa é ter ficado de fora uma parte principal, que é a Zona Industrial, onde já estão instaladas algumas empresas”, deixando um “apelo ao senhor presidente da Câmara que revisse esta situação”.

Pedro Ribeiro lembrou que “este executivo já não interferiu no caderno de encargos, nem nos termos finais do contrato daquilo que eram as obrigações de investimento da Cartágua”. Desta forma, “aquilo que estamos a procurar é obras que se justificam pela densidade populacional, pelo número de aglomerações, por terem acesso a pólos industriais, como é o caso da Lapa, reunir, para termos a noção da sua dimensão e, eventualmente, podermos chegar a um acordo para que essas obras sejam executadas”. “Temos de, naturalmente, encontrar instrumentos financeiros para que, dentro ou fora do contrato de um futuro adicional com a Cartágua, podermos contemplar este tipo de investimentos”, assegurou.

Também o presidente da Assembleia de Freguesia desta União de Freguesias aproveitou para manifestar algumas preocupações, no período destinado à intervenção dos munícipes. Rodrigo Rodrigues quis saber para quando o parque infantil da Ereira, promessa eleitoral do PS, e também quando avançará o alargamento do cemitério da Lapa.

As promessas são mesmo para cumprir até final do mandato, garantiu Pedro Ribeiro. Assim, em relação ao parque infantil, “estamos em negociações com um terreno”. Apesar de não existir unanimidade quanto à localização deste parque, “houve um consenso para que pudesse ser um espaço mais central. Não podendo adiantar, ainda, qual é o espaço, estamos em negociações com a proprietária do terreno. Temos uma reunião pré-agendada para tentarmos fechar um acordo”.

Quanto ao cemitério, o autarca esclareceu que “estamos em processo de avaliação do terreno, porque, por questões de defesa do interesse público, temos de avaliar o terreno para, depois, estudar contrapartidas, ou a aquisição do terreno ou, em alternativa, a proposta do proprietário seria ficarmos com o encargo da sua vedação. A avaliação do terreno é que vai ditar até onde é que podemos fazer um acordo, que não pode ultrapassar o valor da avaliação”. Depois, seguir-se-á o projeto e o orçamento para a execução dessa “necessária obra, uma vez que poderemos ter problemas, a curto prazo, se não acautelarmos essa intervenção”, rematou.

CartaxoReunião de CâmaraUnião de Freguesias Ereira e Lapa