Andar de autocarro já é mais barato

O grupo parlamentar do PS na Assembleia Municipal do Cartaxo apresentou uma moção, intitulada “Transportes mais baratos, mais rendimento disponível”, a propósito da redução dos preços dos passes sociais, que abrangem, também, os municípios da Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo (CIM-LT).

A moção realça que “a partir do dia 1 de maio, andar de autocarro vai ficar muito mais barato, também para os munícipes do concelho do Cartaxo. Vai ficar 35 por cento mais barato”.

Por exemplo, diz a moção, os cartaxeiros que se deslocam diariamente para Lisboa de autocarro vão passar a pagar 82,55 euros, contra os 127 euros praticados até aqui, e “daqui resulta um aumento de rendimento disponível de 44,45 euros por mês”.

“É um valor inédito, que potencia uma verdadeira revolução no paradigma da utilização do transporte público e da mobilidade”, acrescenta o texto, que realça que a medida terá maior impacto nas famílias mais numerosas, mas também naquelas “que se preocupam com a sustentabilidade da utilização do transporte. Privilegiar a utilização do transporte coletivo vai, seguramente, contribuir para a implementação das metas de descarbonização, tornando a mobilidade mais sustentável, também do ponto de vista ambiental”.

Francisco Colaço, do Bloco de Esquerda (BE), salientou a importância da aprovação destas medidas, inicialmente previstas para as Áreas Metropolitanas de Lisboa e Porto, que acabaram por se estender pelo território nacional, e que são “das medidas mais importantes de impacto económico para as famílias nos últimos anos”.

José Augusto de Jesus, da coligação Juntos Pela Mudança (JPM) quis saber se “o Município do Cartaxo está em condições de assegurar a sua parte da contrapartida (26.000 euros)” e se “tem alguma novidade sobre a questão dos comboios, uma vez que esta medida ainda não é estendida à rede ferroviária”.

Ler
1 De 533

“Eu não me vou pronunciar sobre a ferrovia”, começou por dizer o presidente do Município, Pedro Ribeiro, porque “houve um pacto criado entre os presidentes da CIM-LT, quer para o transporte rodoviário quer para o ferroviário, que era falarmos quando as coisas estiverem assinadas. Congratulamo-nos com o acordo que foi feito com a Rodoviária; em relação ao transporte ferroviário, tem muita importância para o nosso concelho e as coisas estão muito bem encaminhadas”, esperando-se “muito boas novidades naquilo que tem a ver com a redução de passes”.

Quanto à capacidade de o Município pagar a parte da contrapartida que lhe cabe, Pedro Ribeiro assegura que sim, “penso que até é o primeiro município que já está a trabalhar tecnicamente com a CIM-LT para uma alteração orçamental que possa acomodar estas verbas”.

A moção foi aprovada por maioria, com a abstenção de José Barroso, da JPM, por ter “sérias dúvidas do impacto que isto vai ter. Eu defendo que aqueles que precisam de ser ajudados devem ser ajudados. Agora, acho que vai todo um conjunto de gente beneficiar e o impacto na redução do carbono, tenho dúvidas. O princípio é bom, mas tenho dúvidas”.

O acordo alcançado com a Rodoviária permite reduções tarifárias assinaláveis em vários percursos. A ligação mensal entre o Cartaxo e Santarém passa a custar 40,63 euros, contra os 62,50 euros anteriores; ir do Cartaxo para Lisboa com passe vai ficar por 82,55 euros (custava 127 euros). Se ao autocarro até Lisboa juntar o Metro e a Carris, o passe fica por 95,55 euros, contra os anteriores 147 euros.

Entretanto, também já foi assinado, na madrugada de quarta-feira, 1 de maio, o contrato entre o Ministério das Finanças e a Secretaria de Estado das Infraestruturas, que vai permitir descontos de 30 por cento nos passes de comboio.

“Estou muito feliz com o desfecho positivo desta negociação. Esta era uma ambição que tínhamos há muitos anos. Era uma questão de justiça. Hoje, a nossa população que utiliza o comboio para as suas deslocações para Lisboa a partir do concelho do Cartaxo irá ter passes muito mais baratos. Esta iniciativa vem corrigir o tratamento injusto e desigual de muitos anos no acesso aos transportes públicos. 35 por cento de desconto no transporte rodoviário e 30 por cento para o ferroviário são duas grandes notícias para o Cartaxo e para a nossa região”, considerou Pedro Ribeiro, em declarações ao Jornal de Cá.

Pode gostar também