Annus Mirabilis

Opinião de Frederico Corado

Será que este vai ser um ano maravilhoso? Só o poderemos dizer dentro de um ano… Neste momento, a imagem depende de cada um de nós, como dizia Shakespeare: “É uma infelicidade da época, que os doidos guiem os cegos.” Portanto, guiemos ou deixemo-nos guiar, só falta escolher o lugar este ano…

Eu, por meu lado, continuarei a escrever, a ensaiar, a trabalhar… Duas vezes por ano, aqui no Cartaxo, tenho a árdua tarefa de passar dois dias fechado no Centro Cultural com a equipa da Área de Serviço a escolher o novo elenco para o próximo projecto de teatro comunitário que se aproxima, desta vez uma adaptação da comédia “Front Page” de Ben Hecht e Charles MacArthur, que vamos estrear em Abril de 2015.

Esta decisão é difícil por se tratar não apenas de escolher entre dezenas e dezenas de participantes, os que têm mais ou menos talento natural ou os que se adaptam melhor aos papéis disponíveis no espectáculo que vamos montar na altura, mas também porque vão ser a nossa família nos próximos meses, e, se tudo correr pelo melhor (como se tem vindo a provar em diversos casos), essa relação mantém-se de espectáculo para espectáculo.

Este “pequeno negócio de família” (como a peça de Ayckbourn) tornou-se numa cumplicidade especial de que muitos agora querem fazer parte – e que bom que é acabar uma sessão, chegar cá fora e falar com o público que, para além de nos acarinhar como nenhum outro, nos pergunta onde se pode inscrever para as audições e quando vão ser as próximas. Voltando a William Shakespeare, em “António e Cleópatra”: “Para o trabalho que gostamos levantamo-nos cedo e fazemo-lo com alegria.”

Pode gostar também

Comentários estão fechados.