Ano Novo, tradições antigas

São 23h59 do dia 31 de dezembro e não sabe onde param as passas! Está a crise instalada! Como é que vai entrar no novo ano sem as indispensáveis 12 passas??? Assim, não vai poder pedir os 12 desejos de Ano Novo!

Esta é uma das tradições mais enraizadas na cultura portuguesa, no que à Passagem de Ano diz respeito. Mas há mais!

Subir a uma cadeira, ter uma nota no bolso (ou no sapato) e brindar com espumante ou champanhe são pequenos gestos que podem (ou não) fazer a diferença e atrair boa sorte para 2016.

Se depois de comer as 12 passas, pedir os 12 desejos, subir à cadeira com dinheiro e brindar com champanhe ou espumante, puder fazer muito barulho, tanto melhor. Vá à janela e bata com tachos e panelas (dizem que afugenta tudo de mau que aconteceu no ano anterior. Verdade? Não sabemos, mas mais vale prevenir), deite fora loiças velhas (mas não corra atrás delas, ou arrisca-se a começar o ano com um galo), desfaça-se do que já não quer.

Ah! E não se esqueça de ir ver o fogo de artifício “armado” com a sua roupa interior nova. Azul, pois claro, que dizem que traz boa sorte!

Mas existem tradições ainda mais bizarras em Portugal. Para atrair boas energias, pode contar as 12 badaladas com o pé direito no chão, atirar dinheiro para dentro de casa, beijar a pessoa amada, acender todas as luzes, abrir todas as portas, sair do local onde estiver e voltar a entrar com o pé direito, ou pular com o pé direito à meia-noite, três vezes e com uma taça de champanhe na mão.

Mais artigos
1 De 7

E não se esqueça de dançar ao ar livre em torno de uma árvore. Parece que traz prosperidade.

Isto tudo, claro está, antes de se lançar para o primeiro banho do ano no mar, gélido, como convém nesta altura! Mas isso é só no dia 1.

Ano Novo pelo mundo

Noruega – As crianças oferecem uma tigela de papas de aveia (nisse). Em troca, terão os favores do gnomo-guardião.

Brasil – A roupa interior deve ser de cor para atrair bons presságios. Já a roupa exterior deverá ser branca. Para ter sorte, deve saltar sete ondas consecutivas.

Itália – Abrir e fechar janelas é a missão de todos os italianos às 12 badaladas. O objetivo deste ritual é que os espíritos saiam. Também dão beijos debaixo do azevinho.

Filipinas – As bolas dão o mote nos “modelitos” desta noite. As bolas simbolizam moedas e, por isso, prosperidade.

Dinamarca – É bom sinal encontrar pratos partidos à porta. À meia-noite, ao som de uma fórmula mágica, esvaziam-se os bolsos.

Reino Unido – Por terras de Sua Majestade, muitos saltam para dentro de um círculo de 13 velas, depois de jantarem peru com castanhas.

Pode gostar também

Comentários estão fechados.