Armas, violência e incêndios dominam conferência sobre segurança

 

Decorreu ontem no Centro Cultural do Cartaxo a conferência “Temas Contemporâneos de Segurança Interna”, uma iniciativa da PSP e da Câmara do Cartaxo, aberta a toda a comunidade, onde se debateram temas como a caça e armas, a violência doméstica, incêndios e maus tratos a animais.

conferencia_segurancaEsta iniciativa, que contou com o apoio da GNR, Ministério da Justiça, APAV, APAAC e Associação de Caçadores do Concelho do Cartaxo, começou logo pela manhã e contou com a presença do presidente da Câmara do Cartaxo, Pedro Ribeiro, que abriu a sessão e se manteve presente durante o evento, tal como o presidente da União de Freguesias Cartaxo e Vale da Pinta, Délio Pereira.

Na parte da manhã foram debatidos os temas da caça, com maior destaque para as questões do uso e porte de arma, com a presença do sub-comissário Pereira da PSP e José Reis Matias, da Associação de Caçadores do Concelho do Cartaxo, e da violência doméstica, com Gustavo Duarte, técnico do Gabinete de Apoio à Vitima (APAV) de Santarém, e Conceição Reis, do gabinete de Ação Social da Câmara do Cartaxo. Na audiência, para além de uma forte presença de agentes das forças policiais, marcaram presença, entre outros cidadãos, os alunos do PIEF – Programa Integrado de Educação e Formação, que proporcionaram momentos de debate mais vivos que da parte da tarde.

conferencia_seguranca1Ainda assim, pela tarde, com menos cidadãos na assistência, os temas também suscitaram algum debate, quando se falou dos incêndios, nomeadamente sobre a responsabilização dos proprietários no que diz respeito à limpeza de terrenos, como modo de prevenção aos incêndios. Na apresentação do tema e intervenção no debate, falaram o cabo Rola da SEPNA – Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente, o comandante dos Bombeiros Municipais do Cartaxo, David Lobato, e Ana Coelho do gabinete técnico florestal do Serviço Municipal de Proteção Civil.

O debate seguinte aconteceu depois do tema “Maus tratos a animais” ser apresentado pela provedora municipal dos animais de Lisboa, Inês de Sousa Real, pelo procurador da república, Raul Farias e Veladimiro Elvas da APAAC -Associação de Proteção aos Animais Abandonados do Cartaxo. Também aqui houve questões a colocar, nomeadamente no diz respeito às lacunas existentes na recente lei que criminaliza os maus tratos a animais e que torna difícil a sua aplicação nos diversos casos reais.


 

Pode gostar também

Comentários estão fechados.