As coisas na internet

Opinião de Rafael Teixeira

Fala-se cada vez mais na “internet das coisas”. Que é um passo para coisas cada vez mais “inteligentes”, mais ligadas, mais eficientes, mais fáceis de usar e manter.

Tudo coisas para facilitar a vida às pessoas As redes vão passar a ser ubíquas. Omnipresentes.
Vai estar tudo ligado, de uma maneira invisível. Tudo o que fazemos, vemos, ouvimos estará a ser registado por um ou mais aparelhos; nossos e de outros.
Vai haver sensores para tudo. E tudo poderá ser analisado, partilhado e compreendido.
Ninguém negará os benefícios que a tecnologia traz. Mas a tecnologia não pode ser o princípio, o meio e o fim de tudo. Não pode ser a tecnologia pela tecnologia. Tem de trazer algo para as pessoas.
E as pessoas estão a usar cada vez mais coisas que se ligam umas às outras. E, através delas, as pessoas também. E isso é bom.
Mas têm de ser as pessoas a usar as coisas, não ao contrário.
Casos como a recente morte de um operário na Alemanha, por um robô (http://www.sol.pt/noticia/400139) têm de servir como exemplo de que estamos mal preparados para lidar com as consequências das falhas das coisas.
Porque as coisas vão deixar de ter um botão de “desligar”.

Pode gostar também

Comentários estão fechados.