As fotografias dos meus idosos

Por Raquel Marques Rodrigues

Já pensaram o porquê de muitas das idosas terem uma foto do seu marido, ou do filho falecido ao peito? E porque as exibem com todo o orgulho? Porque guardam religiosamente as fotos dos seus netinhos na carteira? Muitas são as perguntas que lanço, para que possamos refletir sobre o impacto da fotografia nas suas vidas.
Na minha ocupação profissional tenho vivenciado diversas experiências sobre este instrumento de memória e de reconstrução da vida familiar, histórica e social: a fotografia. Partilho consigo alguns episódios de trabalho.

No dia-a-dia do lar, sempre que há uma atividade temática os seniores já estão habituados à presença da minha máquina fotográfica. Registo todos os seus momentos. Dizem eles, que antigamente era raro tirar fotografias mas hoje já não faz diferença nem os incómoda, até sorriem e sempre que o momento é propício, uma senhora grita em voz alta: “ Raquel, tire um Kodak, tire um Kodak”.

Nas sessões individuais que realizo com os idosos, com diagnóstico de doença de alzheimer, utilizo como recurso à estimulação cognitiva álbuns de fotografias, objeto que recomendo vivamente para ornamentar o seu quarto. As fotografias ajudam as pessoas a conservar a sua memória e é vital quando eles conseguem relembrar as pessoas, lugares e situações. Como um flash eles trazem lembranças positivas que são benéficas ao nível cognitivo e comportamental.

A moda das selfies também foi uma novidade explorada pelos idosos. Ao contrário do que se pensa, eles não são totalmente resistentes às mudanças. Eles aderem à tecnologia e gostam de experiências novas. Foi o que me sucedeu algumas vezes no lar. Foi extremamente divertido tirarem selfies a si mesmos, principalmente quando disparavam vezes sem conta, e diziam: “parece uma espingarda descontrolada”.

Com o intuito de valorizar a imagem do rosto dos idosos e a sua auto-estima, sugeri no plano de atividades de animação cultural um dia especial dedicado à fotografia. Desta vez, não eram eles fotógrafos por um dia, agora eram fotografados por uma profissional experiente em captar a sua verdadeira essência. Luzes, maquilhagem, acessórios, tudo pensado ao pormenor para que sentissem verdadeiras estrelas de cinema.

Já ouviram certamente o velho ditado chinês: “uma imagem vale mais do que mil palavras”, pois bem, não poderia deixar de concordar, a fotografia é a nossa testemunha ocular, regista momentos, emoções, sentimentos e ajuda a contar histórias. As histórias dos nossos avós.

Pode gostar também

Comentários estão fechados.