Atos de vandalismo em equipamentos públicos aumentam

 

Cidadão indignado oferece-nos, como sinal de alerta às autoridades competentes, reportagem fotográfica que ilustra vários atos de vandalismo praticados na cidade nos últimos meses

 

[acx_slideshow name=”Vandalismo Cartaxo 2015″]

 

Com o intuito de “alertar a sociedade para a degradação de um património que é de todos nós”, um leitor, que preferiu não se identificar, fez-nos chegar fotografias e um relato de situações de vandalismo em equipamentos públicos, que têm vindo a verificar-se na cidade do Cartaxo. As fotografias dão conta do desaparecimento de parte do muro de tijoleira do pátio envolvente da galeria municipal José Tagarro, antiga Central Elétrica. Mostram-nos, também, vários grafitis feitos em paredes de edifícios públicos, junto à Câmara Municipal, e a destruição de vários bancos e mesas de jardim, equipamentos públicos tão apreciados, em zonas que se estendem do Parque Central ao pequeno jardim junto à Casa de Santa Cruz (antigo Hospital).

Para o nosso leitor, repórter de ocasião, “é urgente fazer com que alguém com responsabilidades sinta que isto não pode continuar e que é necessário agir”, sobretudo, como nos fez notar, “este tipo de atos está propagar-se a um tal ritmo que as pessoas começam a sentir-se inseguras, porque veem que não há uma resposta eficaz. Isto já está a ser um fenómeno que vai para lá das simples pinturas de paredes em sinal de rebeldia. Isto está a ir mais longe e daqui a nada estamos a viver numa selva”.

Na sua justa indignação, refere ainda que “além do mal que está a ser feito, há a questão dos custos que isto tem para todos nós porque, no final, somos nós que vamos pagar para reparar estes atos de vandalismo”.

Pode gostar também

Comentários estão fechados.