Autárquicas 2017: BE apresenta candidatos

Cerca de 40 pessoas assistiram à apresentação da candidatura do Bloco de Esquerda às autárquicas de 2017

Cerca de 40 pessoas assistiram à apresentação da candidatura do Bloco de Esquerda à Câmara e Assembleia Municipal do Cartaxo na noite desta quarta-feira, no Restaurante Pelé, no Cartaxo.

Os candidatos são António Galhardo, cabeça de lista à Câmara Municipal, e Francisco Colaço, cabeça de lista à Assembleia Municipal.

“O Cartaxo necessita, tal como o País, de bloquistas que ajudem o Cartaxo a singrar no desenvolvimento, a singrar na justiça, a singrar no caminho que é necessário para que a juventude tenha emprego no Cartaxo, para que o Cartaxo se desenvolva, para que os idosos e os reformados vejam reposta a justiça do Cartão do Idoso que foi suspenso por este executivo, para que mais vergonhas como a privatização da distribuição da água em baixa não possam ocorrer e sejam reparadas, para que o urbanismo, as estradas, as zonas verdes, o ambiente, sejam acautelados e respeitados. É fundamental a presença de bloquistas nos órgãos autárquicos deste concelho”, começou por dizer Francisco Colaço.

Segundo o candidato, é necessário “repor a justiça solidária na nossa terra”, que tem uma população envelhecida. Essa reposição deverá passar pela reativação do Cartão do Idoso, suspenso pelo atual executivo. Francisco Colaço lamenta “que a oposição, tendo a maioria, não tenha reposto o Cartão do Idoso, por exemplo. Mas não fizeram isto, nem fizeram grande coisa de notório”.

Paralelamente, “a água pública é um dos nossos lemas de que não abdicaremos nunca. Os bens públicos são para ser gestão coletiva, não queremos ver a lógica dos privados na gestão dos bens públicos”.

Mais artigos
1 De 38

Francisco Colaço defendeu, ainda, que os cidadãos do Cartaxo devem ter conhecimento “de toda a vida financeira, política e económica e das decisões que a Câmara Municipal do Cartaxo toma”, num esforço de transparência.

O Bloco defende “a mobilidade inter-freguesias”, como forma de desenvolver o concelho, com a aposta nos transportes urbanos e na ligação à rede ferroviária; o ambiente, com críticas à destruição do jardim central da cidade e à falta de espaços verdes; melhor mobilidade na cidade; melhor acesso à saúde; habitação social; a reabilitação urbana e a preservação do centro histórico; a criação de condições para a fixação de jovens; entre outras propostas.

O candidato à Câmara Municipal, António Galhardo, reforçou algumas das propostas apresentadas por Francisco Colaço, salientando as dificuldades atuais no acesso aos cuidados primários de saúde, as dificuldades de mobilidade, a necessidade de uma maior ligação entre as empresas e as escolas, ou um melhor aproveitamento da proximidade ao rio Tejo. “Acho que é uma boa altura para a Câmara do Cartaxo ir também exigir que o Tejo seja menos poluído, tenha melhor aproveitamento para o lazer, para a economia da região, porque isso é fundamental”, realçou.

Carlos Matias, deputado do Bloco eleito à Assembleia da República pelo círculo eleitoral de Santarém, disse que “estas eleições autárquicas são muito importantes para o Bloco de Esquerda, porque nós levamos muito a sério a democracia, e levamos muito a sério, em particular, a democracia local, porque é aqui, nas freguesias, no concelho, em cada rua, em cada sítio onde nós vivemos que devemos exercer os nossos direitos cívicos, o direito de participação”.

A terminar esta apresentação pública, Adelino Fortunato, do Secretariado Nacional do Bloco de Esquerda, revelou que “o Bloco de Esquerda apresenta-se a estas eleições com expetativas boas, com melhores expetativas do que as eleições passadas e isso tem a ver com a facto de o Bloco de Esquerda, hoje, conseguir apresentar mais listas em todo o País, em mais municípios, em mais freguesias, apresentar mais candidatos, e ter expetativas de poder ter melhores resultados, ter mais votos, de eleger mais vereadores, mais deputados municipais, mais membros das assembleias de freguesia”.

Pode gostar também

Comentários estão fechados.