Autárquicas 2017: Juntos Pela Mudança perde apoiantes

A candidatura Juntos Pela Mudança perde quatro apoiantes

Vítor Oliveira, António Morão, Nuno Tavares e Maria Antonieta Tavares abandonaram a coligação Juntos Pela Mudança (PSD e Nós, Cidadãos).

Recorde-se que estes quatro elementos tinham declarado publicamente o seu apoio à candidatura liderada por Jorge Gaspar. Vítor Oliveira é ex-autarca socialista. António Morão, eleito na Assembleia Municipal pelo PS, solicitou recentemente o estatuto de eleito independente. Maria Antonieta Tavares é eleita na Assembleia Municipal pelo Paulo Varanda – Movimento Pelo Cartaxo.

Agora, em comunicado, estes quatro cidadãos referem que “fomos ‘obrigados’ a desvincular-nos do referido projeto, porque o mesmo não refere os princípios publicamente anunciados, a saber: pluralismo, abrangência, equidade e mudança”.

Os cidadãos apelidam, no mesmo comunicado, o projeto Juntos Pela Mudança de “Coligação Encapotada pelo PSD”, e justificam esta decisão com o facto de quererem “manter uma postura cívica de idoneidade, de responsabilidade e de total transparência perante as pessoas do concelho do Cartaxo, a nossa consciência determina o nosso afastamento”.

Gonçalo Gaspar, diretor de campanha do Juntos Pela Mudança, revelou que “fomos surpreendidos e tivemos conhecimento deste comunicado pela comunicação social”, adiantando não compreender as razões desta tomada de posição, já que “os valores e o foco desta candidatura são os mesmos” de quando Vítor Oliveira, António Morão, Nuno Tavares e Maria Antonieta Tavares se juntaram a ela.

Quanto à acusação de esta ser uma ‘Coligação Encapotada pelo PSD’, Gonçalo Gaspar entende que só pode ser feita “por cegueira política”, uma vez que “os candidatos são maioritariamente independentes”.

Mais artigos
1 De 36

A finalizar, acrescenta que “a coligação tem muito apoio do PSD. Mas mais do que apoio do PSD tem muito apoio de um grande conjunto de independentes”.

José Augusto de Jesus, presidente da concelhia do PSD, realça que “valorizamos muito a vontade genuína de participação cívica de todos os intervenientes”, escusando pronunciar-se sobre este caso concreto. “Permita-me que não fale do caso concreto, mas sim daquilo que verdadeiramente importa: os princípios que motivam esta candidatura, a dinâmica crescente da mesma, e a confiança que cada vez mais se percebe por parte dos eleitores. A partir daqui, cada um fará a leitura que entenda, sendo que, em democracia, são respeitáveis todas as opiniões. Fico-me por aqui”, referiu.

Este responsável salienta que “esta coligação é efetiva, é uma realidade! Não é nenhum projeto… Esta coligação está muito bem assente na convergência de princípios comumente aceites pelos seus integrantes: consolidação de um poder autárquico assente em valores humanistas, que pretende um rumo de desenvolvimento económico e social para o Cartaxo, assente na participação de todos os cidadãos do concelho do Cartaxo. Quer o melhor exemplo? Veja o enorme momento que foi a apresentação da candidatura em Pontével, a mobilização mostrou bem o sucesso desta coligação”.

Pode gostar também

Comentários estão fechados.