Basta de brincadeiras

Pedro MendonçaPedro Mendonça

A situação na Junta de Freguesia de Vila Chã de Ourique passou os limites do tolerável em democracia. A terra continua sem Junta após mais de um ano de acusações de terrorismo político, reuniões na rua por a Presidente eleita não abrir a porta, de troca de acusações de ilegalidade e de muita exaltação infantil. Vila Chã é caso único no país, para nossa vergonha.
Entretanto a Junta tem sido gerida por Conceição Nogueira, secretária do anterior executivo e vencedora das eleições e pelo seu próprio marido, que era o tesoureiro e assim se mantém em funções. A Oposição elegeu a Mesa da Assembleia, situação que Conceição se recusa a aceitar e que tentou travar fazendo inclusive queixa para os tribunais. A sentença do Tribunal foi clara, Conceição não tem razão e tem por isso de pagar custas sobre uma ação de 30 mil euros.
Até ver existe Mesa da Assembleia legalmente eleita com membros da Oposição mas não existe Junta de Freguesia a funcionar por o PS não aceitar esta Mesa da Assembleia e por não conseguir fazer o que quer sozinho, ter 2/3 da composição da junta – pois ganhou por apenas 17 votos e precisa de votos da oposição, que não os dá. Perante este imbróglio ouriquense julgo só haver uma decisão democrática e justa: eleições intercalares.
A meu ver, o PS tem tido um comportamento irresponsável prejudicando a terra, mas a verdade é que se toda a oposição se demitisse em bloco as eleições intercalares realizar-se-iam quer o PS quisesse, quer não quisesse. Nesta caso não há “virgens ofendidas”, parece haver é muito medo de eleições.
Já é tempo de o PS, PSD, Movimento Varandas e CDU, se deixarem de comunicados e ofensas e de perceberem que a política só tem o intuito de servir o povo. Demitam-se e caso queiram, candidatem-se de novo. Que pena tenho que entre os discursos dos políticos locais e as suas práticas haja tão grande distância, que pena tenho que não aprendam nada com o que se passa noutras paragens. Um dia quando acordarem já não haverá cidadãos a confiarem em vós.

Pode gostar também

Comentários estão fechados.