Cafécop vai instalar-se no ValleyPark

As novas instalações e mudança de sede fiscal para o concelho estarão concluídas em 2019

Tal como o Jornal de Cá tinha avançado, a Cafécop vai instalar-se no ValleyPark. O contrato-promessa de compra e venda foi assinado esta segunda-feira, numa cerimónia que decorreu no Salão Nobre dos Paços do Concelho.

A Cafécop, Lda., empresa de vending instalada no Cartaxo, escolheu o Valleypark para executar o seu projeto de expansão de negócio – novas instalações e mudança de sede fiscal para o concelho, que estarão concluídas em 2019.

O contrato-promessa de compra e venda, que conclui o processo de decisão que levou , Cafécop, a optar pela instalação no Valleypark, foi assinado na tarde de hoje, dia 4 de junho, em sessão pública que decorreu na Câmara Municipal do Cartaxo.

Frederic Alcaraz, fundador e proprietário da empresa, apontou a localização do Parque de Negócios como a principal razão para a decisão que tomou, já que “o Valleypark oferece condições de enorme importância para a gestão do nosso negócio, tanto quanto para o crescimento e expansão da empresa”, referindo-se quer à proximidade à área metropolitana de Lisboa, quer ao Nó de Acesso à A1 e ligação à A23, quer ao facto de o Cartaxo, do ponto de vista de classificação regional para acesso a fundos comunitários,  estar integrado na NUTS II Alentejo, o que permite “concorrer a fundos comunitários, apresentando projetos de investimento para expansão do negócio, que em Lisboa estariam fora de questão”.

O empresário garante que a proximidade à zona metropolitana de Lisboa “é essencial para a gestão do negócio que desenvolvemos”, já que “cerca de 80 por cento dos nossos clientes estão em Lisboa”. Desta forma, “ter a sede da empresa no Cartaxo, a 30 ou 40 minutos dos nossos clientes, permite-nos manter todos os postos de trabalho que temos no Cartaxo, porque os trabalhadores têm de residir perto da sede”, para além “dos ganhos de eficácia e eficiência em termos de gestão de clientes, de recursos humanos e de logística”. Frederic Alcaraz garante que “até final do ano deveremos crescer um pouco acima dos 30 por cento de faturação e criar mais 36 postos de trabalho diretos”.

Mais artigos
1 De 524

Na assinatura do contrato para a instalação da empresa, que foi firmado entre Frederic Alcaraz, José Eduardo Carvalho, presidente do Conselho de administração da ValleyPark, e Pedro Ribeiro, presidente da Câmara Municipal do Cartaxo, o autarca afirmou que a possibilidade de “se poder iniciar a comercialização da Área de Localização Empresarial foi, talvez, a notícia mais importante para o Cartaxo, nos últimos 20 ou 30 anos. Foi um dos dias mais importantes do mandato anterior, que terá repercussões estruturais no desenvolvimento do concelho”.

A instalação da Cafécop, com a assinatura do contrato-promessa “um ano depois, mostra que a solução para os problemas foi difícil, mas era essencial e urgente para o desenvolvimento económico do concelho e da região, tanto quanto para as empresas que aqui vão encontrar uma localização privilegiada”.

A Cafécop faturou, em 2015, 1 milhão e 500 mil euros, em 2016, 2 milhões e 35 mil euros, em 2017, 2 milhões e 700 mil euros. Em 2018, Frederic Alcaraz prevê uma faturação na ordem dos 3 milhões e 600 mil euros.

Pode gostar também

Comentários estão fechados.