Câmara do Cartaxo procura solução para Escuteiros

Pedro Ribeiro, presidente da autarquia, adianta que está a ser estudada uma solução

António Alves, em nome dos pais dos escuteiros do Agrupamento 1120 do Cartaxo, foi à reunião de Câmara desta segunda-feira, 19 de março, realizada na sede da Junta de Freguesia da União de Freguesias da Ereira e Lapa, para solicitar à autarquia a disponibilização de um espaço para acolher o Agrupamento, que está, nesta altura, ‘desalojado’, já que as intempéries das últimas semanas causaram danos sérios na sede, que colocam em causa a segurança de pessoas e bens.

A situação é transitória, uma vez que existe a vontade de que o Agrupamento passe a sua sede para o rés-do-chão da EMEL, junto ao GAJIC, para que se possa proceder às obras necessárias. Ainda assim, também o rés-do-chão necessita de intervenção, o que tornará a mudança do Agrupamento, que tem as atividades suspensas, demorada.

Esta situação já é do conhecimento da Câmara Municipal, e Pedro Ribeiro, presidente da autarquia, adianta que está a ser estudada uma solução. Depois da tentativa gorada de instalar os escuteiros na Quinta das Correias, o Município está, agora, a tentar arranjar uma  solução na Capela Norte, onde existe um terreno disponível, mas “como houve uma alteração de  loteamento teve de ser fazer um período de auscultação pública, houve um edital para ver se algum morador se pronunciava. Acabou na passada sexta-feira, agora, há um conjunto de tramitação legal (…) até à escritura do direito de superfície, para que o terreno possa estar em nome do Agrupamento de Escuteiros”, explicou.

Por agora, “haverá abertura para resolver o problema”. No entanto, “não inviabilizando já, não é fácil localizar os Escuteiros nestes espaços, uns porque já estão ocupados, outros porque as obras ainda não estão concluídas, outros porque a dimensão está longe daquilo que vocês necessitam”, revelou.

O autarca deixou, contudo a garantia de que tudo será feito para arranjar uma solução, “para enquanto  as obras não se iniciam, poderem continuar a desenvolver a vossa atividade, que nós reconhecemos como muito meritória, ocupa muitos jovens do nosso concelho, e fazem um trabalho extraordinário”.

Pode gostar também

Comentários estão fechados.