Câmara do Cartaxo vai criar grupo de trabalho com comerciantes

Gorada que foi a tentativa de criação de uma associação de comerciantes do concelho do Cartaxo, o presidente da Câmara Municipal, Pedro Ribeiro, propôs a criação de um grupo de trabalho "entre os serviços da área de empreendedorismo da Câmara e um conjunto de comerciantes que queira trabalhar connosco"

Ainda não é desta que avança a constituição de uma associação de comerciantes do concelho do Cartaxo.

A ideia vem sendo debatida em reuniões promovidas pela Câmara Municipal com os comerciantes, freguesia a freguesia, mas esta terça-feira, numa reunião destinada aos comerciantes de todo o concelho, não foi possível encontrar quem, de entre os comerciantes presentes, se disponibilizasse para levar a cabo esta associação.

Apesar de a disponibilidade reiterada pelo presidente do Município, Pedro Ribeiro, para dar apoio jurídico a esta associação e para ceder instalações, não houve forma de convencer os comerciantes a avançar. Até porque, salientou Álvaro Almeida, da Casa de Almeida – Tapetes do Cartaxo, “acredito que os comerciantes achem que é uma mais-valia existir uma associação de comerciantes. No entanto, há um problema: a maior parte dos comerciantes são eles próprios que estão nos estabelecimentos e não vão fechar os estabelecimentos para ir tratar de assuntos na rua. Por isso, estamos todos um bocadinho presos, porque depois não podemos responder às expectativas”.

Esta reunião serviu, também, para apresentar e ouvir propostas para dinamizar a época natalícia. A iluminação de Natal já está nas ruas desde a Feira de Todos os Santos, como era tradição, e a Câmara Municipal está a trabalhar num programa de animação, que vai envolver coletividades e associações.

O programa “vai estar muito centrado, como esteve noutros anos, dentro do nosso Mercado Municipal, com alguma animação cultural”, explicou Pedro Ribeiro, presidente da autarquia, adiantando que também está a ser estudada a possibilidade de colocar música natalícia na rua.

Mais artigos
1 De 368

A importância de as lojas permanecerem abertas ao sábado à tarde, um Pai Natal a circular e a distribuir balões pelas crianças, árvores de Natal à porta, animação em várias zonas da cidade ou a isenção de taxas por ocupação de terreno para os carrosséis nesta época foram algumas das ideias apresentadas pelos comerciantes. “O que nós precisamos é que as pessoas se aguentem cá”, disse Álvaro Almeida, sugerindo a criação de vouchers pela Câmara Municipal, “que pudessem incentivar, neste caso, os seus funcionários, porque é o maior empregador do concelho, a fazer compras no comércio tradicional”.

Com o objetivo de articular iniciativas, horários ou campanhas, por exemplo, o presidente do Município propôs a criação de um grupo de trabalho “entre os serviços da área de empreendedorismo da Câmara e um conjunto de comerciantes que queira trabalhar connosco porque acho que é muito importante, ainda que sem uma estrutura associativa, trabalharmos num plano de dinamização do comércio local, com um plano de ação com medidas concretas”.

No final da reunião, o Jornal de Cá teve oportunidade de questionar alguns comerciantes sobre esta reunião. As opiniões foram unânimes: esta reunião foi proveitosa e a criação deste grupo de trabalho é bastante positiva.

Pode gostar também
Comentários
Loading...