Câmara pagou 9,8 milhões de dívidas antigas

Dívida A Câmara Municipal do Cartaxo pagou, até 16 de dezembro, 9,8 milhões de euros a fornecedores, associações, utentes do cartão sénior e instituições bancárias com valores cedidos de protocolos com juntas de freguesia, associações, coletividades e dívida a fornecedores. A verba foi retirada da primeira tranche do Plano de Apoio à Economia Local (PAEL), no valor de 10,6 milhões de euros, recebidos em novembro.
Os utentes do Cartão Sénior que aguardavam há alguns anos o pagamento do apoio que a Câmara lhes concedeu, para aquisição de medicamentos, receberam cerca de 14 mil euros; ao movimento associativo, foram pagos cerca de um milhão e 120 mil euros, sendo que destes, um milhão estava entregue ao BPI e mais de 120 mil euros, estavam em falta diretamente às associações e coletividades. Aos fornecedores foram entregues diretamente cerca de 920 mil euros e cerca de seis milhões de euros foram pagos a entidades bancárias – BES, BPI e Santander – junto das quais estava cedido este valor. No que respeita às juntas de freguesia, foram pagos ao BPI, cerca de 1 milhão e 850 mil euros, que estavam também sob a forma de cedência à instituição bancária.
Pedro Magalhães Ribeiro, presidente da Câmara Municipal do Cartaxo, afirmou que “os serviços estão a trabalhar para que esta primeira tranche do PAEL chegue às pessoas o mais rapidamente possível”, explicando que “parte da dívida estava cedida a instituições bancárias, o que constituía mais um peso financeiro para a Câmara. O pagamento destes valores à banca alivia o serviço da dívida na gestão municipal”. Quanto ao modo como os pagamentos estão a ser efetuados, o autarca explicou que foram feitos “por ordem de antiguidade das faturas, que estão todas discriminadas e publicadas no PAEL. Os pagamentos da dívida não estão a ser feitos de forma aleatória e não somos nós que decidimos a quem pagar primeiro, são as regras do PAEL que definem a ordem que tem de ser seguida”. O autarca referiu ainda que “estar a pagar medicamentos a pessoas com dificuldades, que aguardavam há anos, é muito importante para estas pessoas, mas também é importante para a Câmara, enquanto instituição que deve ser exemplo na comunidade”. O presidente da Câmara assegura que “vamos enviar prova dos pagamentos já efetuados às instituições responsáveis, para que a tranche seguinte do valor total a receber, que será um pouco mais de cinco milhões de euros, possa chegar à Câmara o mais breve possível, para podermos continuar a pagar”. O PAEL destina-se a pagamento de dívida vencida a 31 de dezembro de 2011.

Pode gostar também

Comentários estão fechados.