Cantar facilita relações sociais

A group of young people singing at a karaoke party.

Todos conhecemos a expressão “quem canta seus males espanta” e a tomamos como verdadeira. No entanto, existem agora evidências científicas que vêm corroborar este ditado antigo.

 

Segundo o estudo “The ice-breaker effect: singing mediates fast social bonding” (qualquer coisa como “O efeito quebra-gelo: cantar facilita laços sociais rápidos”), é já antiga a ideia que o canto evoluiu para facilitar a coesão social.

No entanto, o que os investigadores querem perceber é se esta coesão é potenciada pelo jeito para as cantorias ou se existe qualquer outro mecanismo social que potencie esta situação.

As conclusões a que chegaram apontam que os grupos de cantores experientes conseguem estabelecer ligações com o grupo mais rapidamente, o que demonstra, efetivamente, o tal efeito quebra-gelo que as cantorias produzem, e leva a uma coesão rápida entre indivíduos desconhecidos, que ignora a necessidade de conhecimento pessoal dos membros do grupo.

Criar e manter relacionamentos sociais positivos é essencial para a saúde física e mental e para o bem-estar.

Criar e manter relacionamentos pessoais requer investimento de tempo, mas é o próprio tempo que coloca um limite no número de relações pessoais que um indivíduo pode manter através de interações diretas. Assim, a coesão em grandes grupos requer alguns meios para conetar emocionalmente muitas pessoas ao mesmo tempo.

Mais artigos
1 De 37

Cantar é comum em todas as sociedades humanas e pode ser feito pela grande maioria dos seres humanos; é uma capacidade do comportamento humano universal, e isso implica que ela poderia ter surgido como uma adaptação evolutiva.

Cantar permite a libertação de neuropeptídeos associados ao vínculo social: ocitocina e beta-endorfina.

Dados qualitativos dos grupos de cantores e coros sugerem que a interação social e um sentimento de pertença são características positivas importantes. Além disso, membros do coros frequentemente relatam uma melhoria no humor depois de cantar.

O estudo mostra que o grupo de cantores experimentou um aumento quer na proximidade ao grupo, quer no afeto positivo.

Assim sendo, os autores deste estudo chegaram à conclusão que cantar pode desenvolver o processo de estabelecer relações íntimas, já que a interação é prolongada. Cantar quebra o gelo para que os indivíduos se sintam mais perto do grupo como um todo, mesmo que não saibam nada sobre os membros individuais.

Por isso, cante! De certeza que vai conhecer pessoas bem interessantes!

Pode gostar também

Comentários estão fechados.