Carros 2.0

Opinião de Rafael Teixeira

Muito tempo passou desde que Karl Benz patenteou aquele que é considerado o primeiro automóvel, o Benz Patent-Motorwagen.

Desde então, o automóvel teve o maior contributo para o desenvolvimento da Humanidade, tanto para benefício como para a dependência e utilização do petróleo, como todos os impactos no Ambiente que conhecemos.

Alimento de paixões, o automóvel foi causa e efeito de desenvolvimentos únicos e sem paralelo. Do transporte de massas a mudanças culturais, económicas e sociais, o automóvel entra agora num novo ciclo, com a integração com a mais recente tecnologia informática e de comunicações.

Hoje em dia, a tecnologia existente nos veículos automóveis está focada nos aspectos da segurança (passiva e activa), na redução de consumos e minimização de impactos ambientais, tentando equilibrar com factores mais individuais como a estética, a imagem associada e a facilidade de utilização. Não são tarefas fáceis.

Destes novos desenvolvimentos, gostava de salientar três exemplos que irão, mais uma vez, transformar o panorama de utilização do automóvel com impactos que não se conseguem ainda prever.

Sendo um meio de transporte de bens, mercadorias e pessoas por excelência, a utilização dos veículos de grandes dimensões tem requisitos de segurança que podem ser aumentados com a utilização de mecanismos de resposta e deteção de eventos superiores ao que os condutores humanos conseguem fazer.

Mais artigos
1 De 295

Com a utilização de sensores, radares e câmaras, o fabricante ainda necessita da componente humana para levar o veículo até às Autoestradas, mas a partir daí a máquina toma conta.

Com data prevista de disponibilização para 2025, as longas horas dos motoristas poderão vir a ser mais agradáveis, pelo menos de acordo com imagens publicadas.

A Land-Rover desenvolveu um sistema que permite aos condutores dos seus jipes conduzi-los remotamente, enquanto estão fora dos mesmos.

Recorrendo a um smart-phone e a uma aplicação, o condutor poderá sair do seu veículo e guiá-lo, até uma velocidade máxima de 6 km/h, manobrando-o à semelhança de alguns jogos.

As vantagens deste tipo de soluções para situações especiais (raids, passeios, terrenos acidentados) e para as mais quotidianas (parqueamento em locais mais apertados) parecem óbvias.

Segundo  o fabricante, o sistema avalia o espaço disponível, outros veículos e objectos, de forma a evitá-los.

Pode gostar também

Comentários estão fechados.