Cartaxo aprova plano municipal de contingência do COVID 19

Comissão Municipal de Proteção Civil alargada reuniu esta terça-feira, 10 de março, para análise e debate da proposta de plano municipal de contingência coronavírus-COVID 19, no Cartaxo, quando no país há já mais de 40 pessoas infetadas, nenhum deles no nosso concelho, embora já haja casos suspeitos.

As preocupações aumentam com a propagação do novo coronavírus em Portugal e a comissão municipal de Proteção Civil, que vem reunindo há três semanas, apresentou hoje uma proposta de plano municipal de contingência do COVID 19, que foi aprovado por unanimidade.

De acordo com o município, o presente plano municipal de contingência, que pode consultar aqui, pretende antecipar e gerir o impacto de uma pandemia pelo novo coronavírus nos funcionários/colaboradores e serviços da Câmara Municipal do Cartaxo, assegurando o cumprimento da missão deste Município. O plano está em consonância com as diretivas da DGS e define o nível de resposta e ação em situação de epidemia, contempla a redução dos riscos para a saúde dos seus trabalhadores, dificultando a transmissão do vírus em ambiente laboral, e a continuidade de laboração dos serviços essenciais (em cenário de absentismos elevado) de forma a garantir a minimização do impacto de qualquer interrupção, e, assegurar o seu funcionamento, contemplando, nomeadamente, espaços de isolamento nos edifícios municipais para casos suspeitos que possam ocorrer, assim como ações de formação aos funcionários.

Este plano prevê um grupo coordenador que envolve o presidente da Câmara Municipal do Cartaxo que tem como adjuntos o vice-presidente, os vereadores Pedro Nobre e Elvira Tristão e ainda o adjunto do presidente Carlos Cláudio; a coordenadora da Proteção Civil do Município, o comandante dos bombeiros municipais e os seus adjuntos e, no grupo de acompanhamento, todos os responsáveis das outras áreas do município.

Ao Jornal de Cá, Pedro Ribeiro mostrou preocupação com todos os trabalhadores do município, bem como com as pessoas que se dirigem aos serviços da Câmara Municipal, existindo “um conjunto de serviços que pela sua natureza nos causa preocupação, porque numa cidade sem recolha de lixo, sem serviço de limpeza e sem bombeiros seria o caos”. Segundo o presidente, “há um cuidado especial na forma em como o assunto é tratado e há uma preocupação quase diária para perceber como é que as pessoas estão, se há sintomas da doença…”.

Pedro Ribeiro diz que há várias iniciativas, como a presidência aberta a decorrer este mês de março em Pontével, certas atividades no Centro Cultural e até a Festa do Vinho, que estão a ser ponderadas e avaliadas, em função das orientações da Direção-Geral da Saúde.

Mais artigos
1 De 499

Segundo o presidente da Câmara do Cartaxo, há já dois casos suspeitos, não confirmados, no concelho, daí que se devam adotar todas as medidas para a prevenção do contágio, “sem alarmismos”, seguindo as indicações da Direção-Geral da Saúde (DGS) e, em caso de dúvida, contactar o município através do email sos.coronavirus@cm-cartaxo.pt, para esclarecimento de dúvidas e “para direcionar estas questões corretamente e para podermos trabalhar de forma célere e próxima, como a situação exige”. Deve ainda contactar a linha de saúde 800 24 24 em caso de suspeita de infeção.

Cuidados redobrados
Para prevenir o contágio, há medidas do dia a dia que podem ajudar à propagação do coronavírus e em que cada um de nós pode fazer a diferença.

De acordo com a DGS, o COVID-19 transmite-se por contacto próximo com pessoas infetadas pelo vírus, ou superfícies e objetos contaminados, através de gotículas libertadas pelo nariz ou boca quando tossimos ou espirramos, que podem atingir diretamente a boca, nariz e olhos de quem estiver próximo. As gotículas podem depositar-se nos objetos ou superfícies que rodeiam a pessoa infetada. Por sua vez, outras pessoas podem infetar-se ao tocar nestes objetos ou superfícies e depois tocar nos olhos, nariz ou boca com as mãos.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença, como adotar medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e boca quando espirrar ou tossir (com lenço de papel ou com o cotovelo, nunca com as mãos; deitar sempre o lenço de papel no lixo); lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes; evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória.

As pessoas infetadas podem apresentar sinais e sintomas de infeção respiratória aguda como febre, tosse e dificuldade respiratória e, em casos mais graves, pode levar a pneumonia grave com insuficiência respiratória aguda, falência renal e de outros órgãos e eventual morte.

Não vale a pena entrar em pânico, mas por agora será conveniente evitar espaços fechados com muita gente, assim como assegurar uma distância nos contactos sociais, evitando beijinhos e abraços.

Pode gostar também

Comentários estão fechados.