Começa hoje a primavera

Já é primavera! A estação mais amena do ano está aí – chegou esta quarta-feira. Ou melhor, chega pelas 21h58, hora em que acontece o equinócio, que mais não significa que a noite e o dia têm durações sensivelmente iguais, de cerca de 12 horas. Quer isto dizer que é pelas 21h58 que o sol, tal como o vemos, cruza a linha do equador terrestre que é projetada na esfera celeste.

Conta, até, um mito antigo que é possível equilibrar um ovo sobre a sua base, numa superfície plana, no momento exato em que se dá o equinócio de primavera, ou seja, no momento em que dia e noite estão em equilíbrio perfeito.

A chegada da primavera é celebrada em todo o mundo, já que é na primavera que tudo renasce, na natureza. Era, também, nesta época do ano que se celebravam os festivais de fertilidade e abundância.

Com os dias maiores, mais amenos e secos, é a altura ideal para desfrutar de atividades ao ar livre. Aproveite para fazer caminhadas, andar de bicicleta, piqueniques e campismo com os mais pequenos… enfim, aproveite o que a natureza tem de melhor e saia de casa. Quem sabe de máquina fotográfica em punho, para registar a profusão de cores típicas da época.

Mas nem tudo são rosas, já que esta é uma estação do ano problemática para muitos que sofrem de alergias.

Já lhe aconteceu acordar a espirrar ou andar constantemente a lacrimejar, com comichão na garganta ou nos olhos, pieira, dificuldade em respirar e dor no peito? Pois é, é a velha rinite alérgica a manifestar-se, ou a conjuntivite alérgica ou até a asma, ‘provocadas’ pelo pico da polinização na maioria das plantas mais alergénicas, como as gramíneas, os fenos ou a erva parietária. E também ao pólen de algumas árvores, como as oliveiras, o mais alergénico em Portugal.

Mais artigos
1 De 2

Não desespere. Primeiro, é importante descobrir a que é alérgico, o que vai facilitar o tratamento. Se for alérgico a vários pólenes poderá precisar de ser vacinado contra os alergénicos a que é sensível, mas também existem comprimidos que funcionam como vacinas contra infeções respiratórias, que são um fator de descompensação quando há uma crise. A juntar a estes, caso a sua alergia não seja tão grave, existem os anti-histamínicos e os descongestionantes nasais, que dão uma ajuda no alívio dos sintomas. Ainda assim, caso suspeite de alergia, o melhor é ir ao médico.

Pode gostar também

Comentários estão fechados.