Comerciantes do mercado semanal querem mudar de local

Falta de condições e insegurança no mercado semanal do Cartaxo, junto à praça de touros, levou o comerciante Paulo Jorge à reunião de câmara desta semana, em nome dos comerciantes do mercado, pedir para voltarem para o local de origem ou ficarem na zona da feira mensal de velharias, também junto ao mercado municipal.

Viaturas estacionadas e a circular na zona do mercado semanal, junto à praça de touros do Cartaxo, condicionam e trazem insegurança aos vendedores e aos clientes, queixou-se Paulo Jorge, lembrando que o mercado semanal foi colocado naquele local por causa da pandemia, há cerca de dois anos, e que agora que terminaram as restrições impostas no combate à covid-19 é tempo de rever a situação.

“Não estamos seguros porque não existe sinalização a proibir a circulação e o estacionamento” naquele local, queixa-se o comerciante, alegando que há quem deixe o carro ali estacionado à sexta-feira, condicionando a montagem das tendas de venda, para além de que a saída dos carros do local obriga à sua circulação, trazendo insegurança aos vendedores e clientes. E não havendo sinalização em contrário muitas pessoas fazem-no por desconhecimento e, por outro lado, a PSP não pode fazer nada, lembra José Jorge.

Como tal, o comerciante pede ao executivo que “olhe para nós”, um dos setores mais penalizados durante a pandemia e que agora espera mais atenção por parte, neste caso, do município. Afinal, diz, “estamos a pagar e não estamos a usufruir do que pagamos”.

“Há mais de 50 anos que nós vendemos aqui [no Cartaxo]”, diz Paulo Jorge, mostrando vontade em permanecer, tal como mais de dez comerciantes que marcam presença regular no mercado semanal do Cartaxo.

O ideal para estes comerciantes seria voltarem ao local antigo, junto ao mercado municipal, mas também colocam como hipótese passar para o local onde decorre a feira mensal de antiguidades, onde os passeios são largos e permitem a passagem das pessoas e os carros circulam em segurança. Afinal, ficam mais próximos do mercado municipal, onde passam mais pessoas, e ficam com melhor acesso às casas de banho, lembrando que os comerciantes que agora se encontram instalados entre a praça de touros e o tribunal são ainda mais prejudicados.

Ler
1 De 67

O presidente da Câmara Municipal do Cartaxo referiu ter em atenção os argumentos apresentados, até porque, segundo João Heitor, ambos já haviam falado desta questão. Segundo o autarca, o caso está a ser analisado, de modo a proporcionar as melhores condições de trabalho aos comerciantes do mercado semanal, mas ainda não está decidido o local para onde vai, afinal, o mercado semanal do Cartaxo.

Pode gostar também