Conversa Afiada #10 – As mulheres na política, e a tomada de posse de Marcelo Rebelo de Sousa

Um programa áudio digital, no Jornal de Cá, que junta semanalmente Fátima Rebelo, Pedro Mendonça e Jorge Nogueira, à conversa sobre os grandes temas da atualidade.

Esta semana, são temas de conversa as mulheres na política, a lei da paridade, e a tomada de posse do presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa.

Na passada segunda-feira, assinalou-se o Dia Internacional da Mulher. O dia 8 de março foi consagrado há 46 anos pelas Nações Unidas. Este ano, por causa da pandemia não vimos as mulheres na rua a reivindicar os seus direitos para trabalho igual salário igual.

A pandemia tornou o mundo mais desigual e fez com que as mulheres fossem as primeiras a perder o trabalho remunerado porque ocupavam os trabalhos mais precários muitas vezes desprovidos de qualquer garantia.

Na política, também, é ainda bem visível a desigualdade, por exemplo, na União Europeia temos quatro mulheres primeiro ministras e 23 homens primeiro ministros.

Ler
1 De 23

No parlamento europeu, tal como no parlamento português, apenas 40 por cento dos deputados são mulheres, e isto porque os partidos são obrigados a respeitar a lei da paridade.

Esta semana, Rui Rio, líder do PSD, admitiu dificuldades em encontrar mulheres disponíveis para integrar as listas autárquicas.

A política é masculina, é feita de acordo com os horários dos homens e os comportamentos dos homens.

Quando as mulheres são assertivas, são criticadas porque são mandonas ou autoritárias, enquanto um homem com estes mesmos comportamentos é um líder nato.

É preciso que a política não seja tão masculina. É preciso que a política seja compatível com a vida familiar, uma vez que a ideia da partilha existe pouco na vida em casal.

Neste episódio é, também, tema de conversa a tomada de posse do Presidente da República. Marcelo Rebelo de Sousa no discurso de tomada de posse, prometeu ser o mesmo de há cinco anos, assumiu um compromisso com a estabilidade e disse o que esperava do Governo quanto à reconstrução do país depois da pandemia.

Pode gostar também