Coronavírus: Cartaxo ativa zonas de quarentena

Há 31 residentes estrangeiros no concelho do Cartaxo que se encontram em vigilância ativa nos espaços de quarentena, no Cartaxo e em Vila Chã de Ourique.

Destas 31 pessoas, de nacionalidade indiana, com idades compreendidas entre os 19 e 50 anos, quatro apresentavam sintomas da doença COVID-19, segundo informou a autoridade de saúde pública local ao Serviço Municipal de Proteção Civil, ao início da tarde de hoje, dia 2 de abril.

As pessoas viviam todas juntas numa habitação, situada na Ribeira do Cartaxo. A situação foi avaliada pela Delegação de Saúde, Serviço Municipal de Proteção Civil, Ação Social e Saúde da Câmara Municipal e Forças de Segurança, concluindo-se que estas pessoas não teriam condições de cumprir quarentena no seu domicílio e, por isso, foram evacuadas para as zonas de quarentena, com o apoio da PSP.

Ao que o Jornal de Cá pôde apurar junto do presidente da Câmara Municipal, Pedro Ribeiro, 20 destas pessoas já estão instaladas na zona de quarentena na cidade do Cartaxo (na Escola Secundária) e as outras onze em Vila Chã de Ourique, no espaço dedicado à quarentena situado no Pavilhão das Festas.

Ao Jornal de Cá, Pedro Ribeiro informou que todas as condições de segurança e higiene, alimentação e assistência médica estão asseguradas e que estas 31 pessoas estão a ser acompanhadas pelos serviços de saúde pública local, serviços do Município e Segurança Social.

O presidente da Câmara referiu que “a minha preocupação principal, neste momento, é que estes cidadãos tenham o devido tratamento por parte das autoridades de saúde para salvaguardar a sua saúde, para salvaguardar que não existe risco de contágio a outros cidadãos, caso algumas destas pessoas tenha resultado positivo no teste COVID19”.

Ler
1 De 676

Referindo-se a alguma informação a circular nas redes sociais, o autarca apela “ao melhor que cada ser humano tem em si. No Cartaxo tratamos todos de modo igual, não interessa qual a sua nacionalidade, são pessoas que estão doentes, que estão assustadas, que precisam de gestos que as tranquilizam. Precisam de segurança e de ter as condições para ser acompanhados do ponto de vista médico e social”.

Todas estas pessoas estão a ser submetidas ao teste Covid-19.

Quanto às Zonas de Quarentena, Pedro Ribeiro destaca que “não são zonas para pessoas em dificuldades económicas ou sociais, são zonas a que cada um de nós pode vir a recorrer – existem para qualquer pessoa que não possa estar em quarentena no seu domicílio, seja porque vive com família e a quer proteger, seja porque vive sozinho e precisa de apoio para tomar as suas refeições, para se sentir seguro enquanto ultrapassa um momento tão difícil como o de saber que está doente com algo tão agressivo como a COVID19”.

Estas 31 pessoas vêm juntar-se às 49 noticiadas esta tarde pelo Jornal de Cá. Assim sendo, atualmente, no concelho do Cartaxo, há ao todo 80 pessoas em vigilância ativa por possível contágio da doença.

Pode gostar também