Coronavírus: Sete casos confirmados no concelho do Cartaxo

O número de pessoas infetadas por Coronavírus continua a aumentar, no concelho do Cartaxo, e são já sete os casos confirmados.

Ao que o Jornal de Cá apurou, estes dois novos casos de pessoas infetadas com a Covid-19 fazem parte do universo de contacto dos casos confirmados esta segunda-feira, 23 de março, e todos os infetados estão a recuperar em casa.

Ainda segundo a Delegação de Saúde do Cartaxo, há 35 pessoas em vigilância ativa e com tendência a aumentar.

Entretanto, o Jornal de Cá falou por telefone com a pessoa que foi o primeiro caso confirmado na cidade do Cartaxo, a qual relatou ao Jornal que de facto esteve em viagem, em Espanha, mas que esta viagem decorreu no início do mês de fevereiro pelo que não foi aqui que contraiu a doença, tal como confirmado pela Delegada de Saúde, uma vez que a pessoa só começou a ter sintomas no dia 13 de março, mais de um mês depois, ou seja, a maioria dos sintomas acabam por surgir no espaço de 12 dias após a infeção e a recomendação dos médicos é de 14 dias de quarentena. Assim, a pessoa começou a sentir febre no dia 13 de março, fez o teste à Covid-19, e de imediato se colocou em isolamento total em casa onde tem estado até agora. No dia 19 de março recebeu o resultado positivo.

Ao Jornal de Cá a mulher, na casa dos 50 anos, residente na cidade do Cartaxo, contou que tinha estado em Lisboa na semana anterior (a 13 de março, quando teve os primeiros sintomas) e que poderá ter sido aí a origem da infeção. Contou ainda ao Jornal que nessa altura os trabalhadores da empresa de que é proprietária já se encontravam em teletrabalho e que das sete pessoas que há notícia de infeção pelo coronavírus duas são do seu universo de contacto e que a contaminação terá ocorrido antes de a pessoa apresentar sintomas. A pessoa contou, ainda, que o seu marido não apresenta qualquer sintoma até agora.

Uma situação destas pode acontecer a qualquer um de nós.

Mais artigos
1 De 953

Nunca é demais lembrar que as medidas do ‘Estado de Emergência’, acionadas por decreto do Governo, em resposta à situação epidemiológica do novo coronavírus, devem ser respeitadas por todos e que cada um de nós pode fazer a diferença na tentativa de conter esta epidemia.

Parte da solução para este problema passa, literalmente, pelas nossas mãos, que devem ser bem lavadas, com frequência, ao longo do dia, assim como se pode recorrer ao álcool ou gel desinfetante, caso não tenha acesso a água e sabão. Nestes dias exige-se também alguma distância social, evitando contactos próximos com outras pessoas, por muito amigas que sejam, assim como a permanência em locais fechados com muita gente.

Fique em casa!


Notícia em desenvolvimento

Pode gostar também

Comentários estão fechados.