Coronavírus: Uso de máscara como medida de proteção individual

A Direção-Geral da Saúde (DGS) recomenda a utilização de máscaras por todas as pessoas que permaneçam em espaços interiores fechados com múltiplas pessoas, como medida de proteção adicional ao distanciamento social, à higiene das mãos e à etiqueta respiratória.

O uso de máscaras na comunidade constitui uma medida adicional de proteção, a par das já conhecidas regras de contenção da transmissão da doença covid-19 – distanciamento social, etiqueta respiratória, higiene das mãos e utilização de barreiras físicas, tendo que ser garantida a sua utilização adequada. No caso das máscaras, a sua utilização implica o conhecimento e domínio das técnicas de colocação, uso e remoção: sempre que colocar ou retirar a máscara deverá lavar as mãos, pegando depois nos elásticos ou atilhos que a fixam na cara e nunca na parte frontal que protege as vias respiratórias. A máscara deve cobrir completamente o nariz e a boca e ficar bem ajustada, sem deixar folgas.

“De acordo com o Princípio da Precaução em Saúde Pública, e face à ausência de efeitos adversos associados ao uso de máscara, deve ser considerada a utilização de máscaras por qualquer pessoa em espaços interiores fechados com múltiplas pessoas (supermercados, farmácias, lojas ou estabelecimentos comerciais, transportes públicos, e outros)”, recomenda a DGS.

Existem três tipos de máscaras: respiradores (Filtering Face Piece, FFP), equipamento de proteção individual destinado a profissionais de saúde; máscaras cirúrgicas, um dispositivo que previne a transmissão de agentes infeciosos das pessoas que utilizam a máscara para as restantes; e as máscaras não-cirúrgicas, comunitárias ou de uso social, dispositivos de diferentes materiais têxteis (não certificados), destinados à população geral, usadas como uma medida de último recurso de proteção sobretudo dos outros.

São estas últimas, de uso comunitário, que podem ser feitas em casa, recorrendo, por exemplo, a um lenço dobrado e dois elásticos nas extremidades para prender nas orelhas. Na página de facebook da Câmara municipal do Cartaxo, tal como através de pesquisa na internet, encontra tutoriais que ensinam a fazer máscaras. Nas redes sociais, há várias pessoas a produzir máscaras e a vendê-las por encomenda, também no concelho do Cartaxo. Estas máscaras de pano devem ser lavadas com água e sabão ou lixívia a temperatura elevada.

As máscaras descartáveis (cirúrgicas) devem ser usadas por um máximo de seis horas ou retiradas quando ficam húmidas, sendo imediatamente depositadas no lixo comum – não devem ser reutilizadas.

Pode gostar também

Comentários estão fechados.