Coronavírus: Voluntários pedem ajuda para animais de rua

Os efeitos do Coronavírus já se estão a fazer sentir nas associações que ajudam animais de rua.

As dificuldades começam a ser muitas. Apesar de não se notar, nesta altura, um aumento dos animais abandonados, o certo é que os que existem dependem cada vez mais dos voluntários das associações, já que os habituais ‘cuidadores’ deixaram, em muitos casos, de colocar comida à disposição dos animais errantes e das colónias existentes, por estarem fechados em casa, e estes começaram a deslocar-se para outros locais, em busca de comida. Além disso, as pessoas não podem deslocar-se às associações para as habituais doações.

Desta forma, e para fazer face ao problema, a associação Tico & Teco e o Refúgio Animals Angels estão a apelar às superfícies comerciais que disponibilizem um local para que os cartaxeiros possam deixar comida para estes animais.

A primeira superfície comercial a aderir ao apelo destas duas associações do concelho foi o Minipreço Family. Assim, já está à disposição de todos quantos queiram contribuir, um carrinho identificado para colocar a alimentação, e flyers com os produtos em falta, mas a esperança destas duas associações é que mais superfícies venham a aceder ao pedido.

A partir deste sábado, também o Pingo Doce vai disponibilizar um local para a colocação de doações a estas duas associações.

No caso dos gatos, o principal problema que se coloca é a vaga de nascimentos de ninhadas nas colónias existentes. Só nas colónias de rua, a associação Tico & Teco está a gastar cerca de 80 quilos de ração por semana, a que se juntam os patés.

Pode gostar também

Comentários estão fechados.