Cultura em interior

"À Boca de Cena", por Frederico Corado

É uma questão complicada esta de fazer cultura no interior do país. As prioridades são outras, se formos a ver as prioridades são outras no País todo, mas quando toca a zonas mais desertificadas (o êxodo rural não ajudou o interior) e com problemas maiores para atacar, tudo piora.

Não é que seja apenas uma questão de falta de apoios, é uma questão também de  formação de públicos, já uma vez o escrevi neste jornal, de programações coerentes, atractivas e destinadas à comunidade sem nunca esquecer o seu valor cultural e artístico.

Num concelho diversificado como o Cartaxo com uma dinâmica tão variada artística e cultural é fácil haver interesse por parte do público, interesse em teatro, dança, música, exposições, cinema, etc. As ofertas têm de ser destinadas à comunidade e publicitadas de forma a que as pessoas consigam de maneira prática ter acesso à informação.

Dentro dos nulos recursos financeiros disponíveis para actividades culturais, o Município tem feito os possíveis para apoiar e divulgar o que vai acontecendo, mas faz parte do trabalho dos promotores, associações e criadores que se envolvem nas actividades culturais e artísticas um trabalho de divulgação e aproximação de públicos mais forte, dinâmico, cuidado, bem pensado e atractivo.


Frederico Corado escreve segundo a antiga ortografia.

Pode gostar também

Comentários estão fechados.