De Principezinho a Star Wars – A minha Guerra das Estrelas

Opinião de Miguel Ribeiro

Porque estamos em dezembro, além do Natal e do meu aniversário, é o mês do filme Stars Wars (Guerra das Estrelas). O início desta saga começa em 1977, o ano em que nasci. Com a estreia do primeiro filme original, criado por George Lucas, surge um enorme grupo de fãs e de prémios (10 nomeações para os Óscares), o brilhantismo da banda sonora, a eterna luta entre o bem e o mal, a tecnologia avançada, foram elementos que fizeram desta saga uma das mais bem sucedidas da história do cinema.

Em dezembro também estará nas salas de cinema O Principezinho, obra do escritor francês Antoine de Saint-Exupéry, é uma história destinada a todas as crianças: as que ainda o são, as que já o foram um dia e as que nunca deixarão de o ser. Relata a história de um Principezinho que vivia sozinho num pequeno planeta com três vulcões. No planeta havia também uma flor, uma flor muito bonita, mas muito vaidosa. E foi a vaidade da rosa que fez entristecer o Principezinho e o levou a começar uma viagem que o trouxe à Terra, onde encontrou outras pessoas e a partir das quais conseguiu descobrir o segredo do que é realmente importante na vida.

O cinema tem essa capacidade; de nos fazer sonhar; de nos fazer acreditar em outros mundos e outras vidas. O cinema cria a realidade e sonhos e dá vida a livros… E, por vezes, também retrata a nossa própria realidade.

Pode gostar também

Comentários estão fechados.