Descida de Canoa “Pela despoluição do rio Nabão”

O movimento proTEJO convida à descida de canoa “9º Vogar contra a indiferença” e à demonstração ibérica de cidadãos “Pela despoluição do rio Nabão” importante afluente da rede hidrográfica do Tejo, no próximo dia 17 de julho, com início na Praia fluvial do Sobreirinho.

Esta é uma ação de defesa de rios Vivos sem poluição e Livres de açudes e barragens para assegurar a conservação dos ecossistemas e habitats aquáticos, o usufruto do rio pelas populações ribeirinhas e os fluxos migratórios das espécies piscícolas.

O “9º Vogar contra a indiferença” inicia-se pela manhã na Praia fluvial do Sobreirinho e continua com um percurso fluvial em canoa pelo rio Nabão até ao Parque do Mouchão na cidade de Tomar.

A descida de canoa tem 50 lugares disponíveis em 25 embarcações que irão colorir o rio Nabão de todas as cores, estando as inscrições abertas até ao dia 9 de julho para quem desejar descobrir a beleza natural do rio Nabão no percurso fluvial entre a bela Praia Fluvial do Sobreirinho e o encantador Parque do mouchão na cidade de Tomar desfrutando de uma magnífica experiência de defesa de uma causa comum, de comunhão com o rio e de fluviofelicidade.

Entre estes cidadãos conta-se uma participação muito significativa de amigos do Tejo de Espanha pertencentes à Rede de Cidadania por uma Nova Cultura da Água do Tejo/Tajo e seus afluentes, esperando-se muitos participantes, “como aliás é habitual, provando-se que a defesa da Vida nos rios ibéricos ultrapassa as fronteiras administrativas e une os cidadãos com os mesmos problemas, independentemente da sua nacionalidade”, informa o proTEJO – Movimento pelo Tejo.

“A Demonstração Ibérica de Cidadãos ‘Pela despoluição do rio Nabão’ decorrerá pela tarde no Parque do mouchão da cidade de Tomar com a leitura da ‘Carta Contra a Indiferença’ sobre a importância de exigirmos o desbloqueamento da execução de medidas de melhoria de tratamento das águas residuais urbanas e a fiscalização das atividades poluidoras por parte da Agência Portuguesa do Ambiente que se sabe serem necessárias para eliminar a irresponsabilidade que alimenta os focos de poluição no rio Nabão, que têm vindo a envenenar o ambiente e a afetar a Biodiversidade e a saúde das pessoas. Na origem desta poluição está a falta de tratamento de águas residuais urbanas e de descargas de efluentes não tratados provenientes da agricultura, indústria, suinicultura, entre outras.

Pretende-se ainda consciencializar as populações ribeirinhas para o aumento das pressões negativas que resultam da sobre-exploração da água do Tejo: as que se avizinham, com projetos de construção de novos açudes e barragens, e as que já existem, face à gestão economicista das barragens hidroelétricas da Estremadura espanhola, aos transvases de água do Tejo para a agricultura intensiva no sul de Espanha e à agressão da poluição agrícola, industrial e nuclear. Serão ainda realçados a importância do regresso de modos de vida ligados à água e ao rio e das atividades de educação ambiental e turismo de natureza, cultural e ambiental”.

Esta atividade é organizada pelo proTEJO – Movimento Pelo Tejo e conta com o apoio do Município de Tomar, da Rede de Cidadania por Uma Nova Cultura da Água do Tejo/Tajo e seus afluentes, sendo responsável pela descida a Natur Z.

Pode gostar também