Edição de dezembro

No mês de novembro assistimos no nosso concelho a uma escalada dos números de infeções por coronavírus, que mais do duplicaram relativamente aos casos positivos que fomos contabilizando desde março. Isto trouxe ainda maiores restrições ao nosso concelho – que, atualmente, se encontra numa situação de muito elevado risco de contágio – nomeadamente no que diz respeito recolher obrigatório e ao encerramento antecipado de restaurantes e outras superfícies comerciais, cujos horários são ainda mais reduzidos aos fim de semana e feriados, deixando de pés e mãos atados os comerciantes da nossa terra.

Com o Natal à porta, e a previsão da suspensão das habituais festas em família, os nossos comerciantes não auguram, este ano, superar com as vendas desta época festiva os meses anteriores em que o negócio é mais fraco. É, por isso, tempo de olhar para dentro e ver que cá também temos por onde escolher os presentes ideais, assim como as muitas iguarias tradicionais da época para compor a mesa de Natal.

As nossas lojas, mercearias, cafés e restaurantes oferecem, certamente, tanta ou maior segurança que as superfícies comerciais de fora, para além de termos cara conhecidas a satisfazer as nossas solicitações, que promovem também outras formas de atendimento, seja por marcação, por encomenda e até entregando em casa.

O mês de dezembro trouxe alguma esperança, iniciando-se sem registo de novos casos de Covid-19 no concelho se assim se manterá, não sabemos ainda, é esperar para ver. Mas vamos acreditar que, com o esforço de todos, as coisas vão melhorar e, assim, conseguiremos alguma folga neste mês de festas que ajude a segurar a nossa economia e a saúde e sobrevivência da nossa população. Seja prudente, proteja-se a si e aos outros e não deixe de apoiar os comerciantes e empresários da terra, num mês em que, tradicionalmente, se apela à solidariedade.

O Jornal de Cá deseja a todos os leitores e amigos umas Boas Festas!


Receba a edição em papel, saiba como aqui

Pode gostar também