Edição de novembro hoje nas bancas do Cartaxo

Mais uma vez, a edição de novembro do Jornal de Cá coincide com a abertura da nossa Feira de Todos os Santos, não podendo nós neste jornal contar-lhe as novidades deste ano, pois fechamos esta edição no dia em que se inicia a feira. Mas fique atento ao nosso sítio e à nossa página de facebook, na internet, pois teremos novidades do certame diariamente. Sabemos que este ano há novidades, nomeadamente no pavilhão, onde está instalado um picadeiro que permitirá à Feira dos Santos acolher provas equestres de competição. Também o recinto da feira foi requalificado para proporcionar melhores condições aos feirantes e aos visitantes. Por agora, só podemos esperar que não chova muito e que a afluência de visitantes seja idêntica à dos três últimos anos, em que o clima ajudou e muito.

Não podendo adiantar ao leitor muito mais assunto sobre a Feira dos Santos, falamos sobre outros temas que nos últimos dias vêm gerando alguma polémica. O projeto das ciclovias é um deles. Depois de ser apresentado em reunião pública, dirigida aos moradores das zonas a intervencionar, o projeto das ciclovias trouxe várias reações, dividindo moradores e comerciantes. Aqui contamos-lhe tudo sobre o projeto, a reunião de apresentação realizada na Câmara Municipal e as opiniões de quem lá esteve e quis dar a sua opinião. Infelizmente, houve quem não quisesse, por enquanto, reagir publicamente a este projeto de alteração nalgumas ruas da cidade para a construção de ciclovias e reordenamento de alguns parques de estacionamento.

Outra polémica recente partiu da carta aberta de Vítor Teixeira Santos, ex-cabo dos forcados do Cartaxo, dirigida ao presidente da União de Freguesias Cartaxo e Vale da Pinta, enquanto gestor dos espetáculos tauromáquicos da Praça de Touros do Cartaxo. Várias vezes em defesa do Grupo de Forcados Amadores do Cartaxo, que não se quiseram tomar partido nesta questão, o ex-cabo dos forcados aponta críticas à atuação do presidente da Junta relativamente à gestão da praça, tanto a nível dos espetáculos em si, como da manutenção do espaço. Nesta edição, publicamos a carta aberta, assim com as posições do presidente da Câmara do Cartaxo e do presidente da União de Freguesias Cartaxo e Vale da Pinta perante as afirmações da mesma. Desconfiamos que este assunto não morrerá aqui, até porque Délio Pereira diz já não querer mais a praça. Daí que chamemos a sua atenção para os próximos episódios, na edição de dezembro e na edição online do Jornal de Cá.

Pode gostar também