A energia dos relacionamentos

Opinião de Margarida Serrão, Coach e Formadora de Desenvolvimento Pessoal

Cada ser humano é composto por energia, e nos nossos relacionamentos isso não é exceção, pois também aqui emitimos e recebemos energia, o que é feito através de uma frequência. Esta frequência que emitimos é calibrada pelos nossos sentimentos, experiências passadas, desejos e expetativas futuras.

Um exemplo disso é quando conhecemos alguém e imediatamente sentimos uma grande atração, uma grande repulsa ou completa indiferença.

Então como é que funciona esta frequência? Para percebermos isso, temos de perceber como funciona o poder de atração/frequência feminina e masculina, uma vez que todos nós, quer sejamos homens ou mulheres, temos um lado feminino e um lado masculino.

O lado feminino é transmitido através da nossa interação social, preocupação pelo próximo, compaixão, diplomacia e sentimentos.

O lado masculino é transmitido através da nossa capacidade de tomada de decisão, liderança, lógica, intelecto e determinação em estabelecer e alcançar objetivos.

Assim, tanto homens como mulheres procuram, inconscientemente, um equilíbrio entre ambos os lados (feminino e masculino). Claro que existem pessoas que têm um lado mais ativo, enquanto outras têm um maior equilíbrio. E é precisamente esse desequilíbrio que nos faz procurar alguém mais ou menos feminino ou masculino. Esta feminilidade ou masculinidade nada tem a ver com o aspeto físico mas sim com a nossa atitude, com a nossa emissão de frequência/poder de atração.

Mais artigos
1 De 32

Por tudo isto, algumas pessoas procuram ou atraem o oposto, ou seja, homens com uma predominância masculina tendem a atrair mulheres mais sensíveis, assim como algumas mulheres, habituadas a liderar, e por isso com uma predominância do lado masculino, tendem a procurar homens mais meigos, pois precisam de equilibrar o seu lado feminino; e vice-versa. Claro que a atração pelos opostos pode ser extremamente benéfica pela complementaridade que se gera, ou bastante nociva, quando excessiva, o que gera brigas, abusos e discussões constantes.

Por outro lado, outras pessoas procuram alguém em comum, pois encontram vários pontos em comum e isso traz-lhes uma sensação de sintonia. Esta sintonia gera empatia e cumplicidade.

Finalmente, existem pessoas que encontram alguém que, à partida, lhe parecia inatingível, e quando isso acontece ficam com a sensação de que é um sonho, mas se isso acontece é porque a nossa frequência emite algo de muito especial que capta a energia da outra pessoa.

Seja qual for a nossa frequência, e independentemente do tipo de pessoa que atraímos, temos de ter sempre em consideração que se isso acontece é porque precisamos de aprender algo, reforçar algo que já temos e/ou complementarmo-nos para crescermos e evoluirmos como pessoas.

E claro, temos sempre a escolha de preservar um relacionamento, se o mesmo nos faz feliz, ou libertarmo-nos dele, se só nos traz angústia e sofrimento.

Seja qual for a sua escolha, escolha bem e tenha um relacionamento pleno de felicidade, cumplicidade e muito amor.

Pode gostar também

Comentários estão fechados.