“Estamos bastante entusiasmados e felizes”

Uma semana passada da tomada de posse de João Heitor e da sua equipa na Câmara Municipal do Cartaxo, o Jornal de Cá foi passar uma manhã com os membros do novo executivo que, percebemos, querem acima de tudo fazer do município um facilitador de processos e de novos projetos para o concelho.

O ambiente que o Jornal de Cá encontrou uma semana depois da tomada de posse do novo executivo era de um misto de entusiasmo, com alguma azáfama, mas a serenidade necessária a uma boa execução dos trabalhos em curso, nomeadamente o evento Viver os Santos, que estava a poucos dias de se realizar e que seria a primeira marca visível deste recém empossado executivo – “um sinal de que estamos fortemente empenhados em trabalhar em parceria com as forças vivas do nosso concelho”, haveria de nos dizer João Heitor, sobre o evento que veio, este ano, substituir a Feira dos Santos.

No pensamento de todos os membros do executivo, para além de todas as outras prioridades que cada um tem de gerir, paira o orçamento municipal, que tem de ser apresentado até ao final do ano, e é preciso planear bem as possibilidades e as prioridades de investimento.

O último a falar com o Jornal de Cá foi o presidente que, entre os muitos afazeres e compromissos, lá nos recebeu no seu gabinete, por uns minutos, não sem antes passarmos pelo seu chefe de gabinete, Paulo Rodrigues, que nos cumprimentou com um sorriso rasgado.
“Estamos bastante entusiasmados e felizes”, foi das primeiras frases marcantes de João Heitor, depois de começar por dizer que, tal como prometido, tem andado “a ouvir as pessoas”, os funcionários, entenda-se. Para além disso, e de tentar perceber como funcionam atualmente os serviços, o presidente da Câmara diz que tem estado “a tomar conhecimento de alguns assuntos e a dar continuidade à passagem de pastas, que já tínhamos iniciado antes de tomar posse”.

Sem querer entrar em muitos pormenores, João Heitor revela que “vamos tomando conhecimento de muita coisa que está com estruturas muito frágeis e nós não vamos conseguir resolver isso de um momento para o outro”, mas conta com o apoio dos funcionários. “Há muita gente motivada que estava à espera de ter um bocadinho de espaço para outro tipo de intervenção”, adianta.

Para além disso, considera o autarca que “para servirmos a população temos, de facto, de ser facilitadores dos processos, ágeis nas decisões e rápidos no trabalho que vamos desenvolver, para ajudar a que essa dinâmica se concretize e não fique, de alguma forma, condicionada pela nossa ação”, adiantando que também já começou a receber investidores.


Ler
1 De 19

Uma reportagem para ler na edição de novembro do Jornal de Cá, em banca no concelho do Cartaxo

Pode gostar também