Estou perdido! E agora?

Sair de casa com as crianças, para passear ou fazer férias, pode significar uma grande aventura para elas mas um grande pesadelo para os pais. Tome nota de algumas dicas que o podem ajudar divertir-se com os seus filhos, longe de casa, em segurança e sem ansiedade

lonely-428380_1920Muitos pais saem em passeio com os filhos em constante ansiedade pela possibilidade de um dos filhos se perder na multidão. Não são raros os casos de crianças que largam a mão dos pais num centro comercial ou, na praia, atraídos por um qualquer ruído ou objecto colorido saem do pé dos familiares e, em segundos, desaparecem da vista de todos. Neste último caso, lembre-se que, em norma, os miúdos seguem no sentido oposto ao sol, pois a sua luz incomoda os olhos, e deverá ser nesse sentido que deverá tentar procurá-lo. E lembre-se que, num caso destes, deverá colocar em alerta o máximo de pessoas em seu redor, pois quanto mais gente envolver na busca mais depressa se pode evitar um mal maior. Obviamente que deve alertar as autoridades da praia.

Estes são alguns exemplos do que pode acontecer com crianças numa saída para fora do seu espaço habitual e algumas recomendações básicas do que fazer caso o seu filho desapareça, porque há muitas formas de evitar o pânico e a ansiedade, de pais e filhos, nestas circunstâncias. A começar pelo que se diz em casa: por exemplo, deve evitar instruir as crianças a não falarem com estranhos, pois caso se vejam perdidos dos pais serão, certamente, estranhos que os podem ajudar a encontrar os pais. Se as crianças já tiverem algum entendimento é bom ensinar-lhes a dizer o nome e nome dos pais, a morada, caso aconteça perderem-se. Ainda assim, tratando-se de crianças, nas saídas é prudente colocar-lhes um cartão com a identidade, morada e contacto dos pais numa pulseira, na roupa ou na mochila, de modo a serem facilmente identificados.

Ainda assim, convém ajudar as crianças a saber encontrar soluções neste tipo de situações. Marcar pontos de encontro, locais que de alguma forma os fascinem, no supermercado ou na praia, é uma boa forma de os ajudar a não entrar em pânico caso se percam dos pais, para além de que será uma forma de proporcionar um reencontro mais fácil.

Tendo em conta a idade das crianças, fale com elas sobre estas questões e procure, através brincadeiras, dar-lhe pistas sobre como agir nestas e noutras situações, caso se encontrem sozinhos.


Pode gostar também

Comentários estão fechados.