Estudo: Pesadelo ou Salvação

Por Margarida Ferreira, aluna do 11º E na Escola Secundária do Cartaxo

Desde pequeninos que ouvimos os nossos pais, avós e tios dizer “Estuda amor! Estuda e terás um futuro brilhante garantido! Com estudo tudo se faz com mais facilidade.”

O que para uns é quase natural, como se já estivesse incorporado no seu ADN, para outros é uma completa assombração.

O estudo pode ser entendido de diversas formas: para os professores é o que nos vai ajudar a melhor compreender os conteúdos e a facilitar a nossa aprendizagem; já para a maioria dos alunos é o que lhes vai roubar a tarde de sexta ou cancelar aquela saída com os amigos. Mas há um aspeto que tem de ser tido em conta: o que seria do homem sem estudo?

Estudar não é passar dias inteiros a rever a matéria de Biologia para um teste; é preparar-nos para toda uma vida que temos em frente, abrir portas a novas oportunidades, muitas vezes inesperadas. Quer sejamos jovens ou mais velhos, o estudo tem e terá sempre um papel fundamental no nosso crescimento não só profissional como enquanto cidadãos.  É certo que com esta atividade perdemos muito tempo e que, por vezes, não podemos fazer algo que tanto queríamos, como, por exemplo, ir a um concerto, mas, no final, todo o esforço é recompensado.

Muitos podem dizer que, apesar de todo o trabalho, ainda há quem não consiga alcançar os seus objetivos. É um facto! Ninguém é igual e talvez o motivo de não avançarem esteja no seu método ou até no tema escolhido. Estudar o que gostamos torna a atividade mil vezes mais fácil.

Estudar não deve ser visto como um pesadelo mas sim como um caminho, uma salvação até. Creio que sem estudo ninguém vive. Afinal se não fosse todo esse processo de estudo, o que seriamos nós hoje?

Pode gostar também