Feira Medieval com balanço positivo

 

O Agrupamento de Escolas Marcelino Mesquita do Cartaxo foi palco de mais uma edição da Feira Medieval, no âmbito do projeto ” História ao Vivo”, nos dias 20 e 21 de maio.

Mais uma vez, alunos, professores, encarregados de educação e auxiliares de ação educativa colaboraram neste projeto, dinamizado pelo grupo  dos docentes de História e  concretizado por todos os professores do Agrupamento.

Alunos dos 1º , 2º e 3º ciclos, trajados a rigor, dinamizaram diversas atividades, como bancas de venda de produtos alimentares artesanais, respeitando-se ao máximo o ambiente medieval.

A Feira foi animada pela música dos ” Golliardos”, malabarismos e fogo, jogos e danças medievais.
Mais artigos
1 De 515

Esta sexta edição ultrapassou mesmo as expetativas mais otimistas, trazendo ao Cartaxo centenas de visitantes.

Jorge Tavares, diretor do Agrupamento de Escolas Marcelino Mesquita do Cartaxo, realça que “estamos um bocado em cima para fazer já um balanço. O tempo ajuda a fazer qualquer balanço e algum distanciamento e algum equilíbrio nas avaliações. Aparentemente, as coisas correram bastante bem. Tivemos um movimento que ultrapassou a do ano passado, que já tinha sido a maior de sempre. Penso que foi do agrado geral, havia grande satisfação da parte das pessoas, relativamente ao envolvimento, à organização, e penso que estamos todos de parabéns”.

“O grupo musical que nos tem acompanhado sempre, que é os Golliardos, que andam nas grandes feiras medievais do País, dizem que, em termos de escolas, esta é a de maior dimensão”, acrescenta Jorge Tavares.

Esta é uma atividade que é, em grande parte, ‘suportada’ pelo contributo dos pais e encarregados de educação, que fornecem comidas, decorações e trabalho, existem outras despesas que é preciso pagar. Esse dinheiro é ‘gerado’ na própria Feira Medieval, ou seja, “à exceção dos alunos do 9º ano, em que damos o valor integral para as suas viagens de finalistas ou atividades de final de ciclo, tirando esses, os outros alunos retiramos 20 por cento do que angariarem, e é com esses 20 por cento que pagamos a Feira e projetamos sempre a seguinte”, explica.

A Feira Medieval já é uma tradição no Cartaxo e parece ter vindo para ficar.


Pode gostar também

Comentários estão fechados.