Felicidade ou infelicidade

Por Gina Florindo*

A felicidade é algo que todo o ser humano quer, que todos procuram, que todos merecem, mas nem sempre conseguem.

Este artigo tem um trabalho de desenvolvimento pessoal. Fazendo-o como reflexão, poderá fazer um trabalho de expansão de consciência para que possa melhorar os seus estados.

O que é a felicidade? Existe mesmo felicidade?

Se for ao dicionário, e colocar a palavra felicidade, vai encontrar que é um conjunto de circunstâncias que causam ventura, que é um estado de pessoa feliz, sorte, bom êxito. Então, parece que o significado de felicidade que está no dicionário depende de circunstâncias externas, se tivermos sorte e êxitos estamos felizes, se não tivermos estamos infelizes, e lá entra o velho provérbio, “não há mal que sempre dure, nem bem que não acabe”.

Há pessoas que são felizes, desde que tenham saúde, outras são felizes se os filhos forem felizes, outras dizem “eu sou feliz com muito pouco”, outros são felizes se tiverem o emprego xpto, o curso, a casa, o carro, há mesmo quem diga que feliz nunca se é, outros acham que a felicidade não depende dos bens materiais, que envelhecer é uma infelicidade, que o dinheiro não dá felicidade, uma parafernália de opiniões, dependendo da subjetividade de cada um.

Reflexão: é feliz? O que o/a faz feliz? Quando se perguntar se é feliz, analise se é feliz, porque é feliz ou se a sua mente começa logo a arranjar pretextos “sou feliz porque tenho (alguma coisa)”.
A Felicidade depende essencialmente de nós, da habilidade que temos de ultrapassar os obstáculos da vida.

Mais artigos
1 De 8

Muitos dos casos de infelicidade devem-se à expectativa que colocamos nas “coisas”.
A vida, a cada dia que passa, proporciona desafios novos, desafios esses que somos nós energeticamente que os alimentamos, hoje tenho a certeza que o que nos acontece de bom e de mau somos nós, energeticamente, que contribuímos para o acontecimento, obviamente que muitas coisas são inconscientes e não o fazemos com intenção.

“Tenho muita compaixão quando falo neste assunto, primeiro, porque eu própria vivo por vezes situações difíceis, sabendo que fui eu que conduzi a energia, para estar a vivenciar a experiência do momento. Vivo momentos de dor dolorosa, mas hoje sei que não vale a pena fugir da dor, para atingir felicidade, precisamos vivenciar a dor para nos libertarmos”.

A felicidade depende essencialmente de nós, vivermos o mais conscientemente possível. Precisamos criar soluções equilibradas dentro de nós para as respetivas situações, aceitando as adversidades com que nos deparamos. Aceitar não quer dizer que concordamos, mas sim ter maturidade e inteligência emocional para reconhecermos que não são os acontecimentos que determinam a nossa felicidade e a infelicidade. Nós não somos os acontecimentos, nós somos Um Ser a viver a experiência. Podemos viver momentos de grande dor, sem que a felicidade seja posta em causa.

“A FELICIDADE É UMA ESCOLHA CONSCIENTE: EU PERMITO-ME SER FELIZ”

*Gina Florindo é Mestre de Reiki, Facilitadora de Cura Reconectiva/Reconexão, Numeróloga e Hipnoterapeuta

Pode gostar também

Comentários estão fechados.