Festas voltam à Cidade por quatro dias

Cartaxo vai estar em festa, de 21 a 24 de junho

Cartaxo, 17/06/2016 - Festa da Cidade do Cartaxo, Desfile Gentes da Nossa Terra ( Vitor Neno / Neno Photo )

Um espaço dedicado à restauração, a redução da manga para as largadas e do número de dias de festa são as novidades para as Festas da Cidade que, onze anos depois, voltam a ter na organização Délio Pereira, agora enquanto presidente da União de Freguesias Cartaxo e Vale da Pinta.

Estamos a fazer um programa à medida da carteira.

Este ano as Festas da Cidade, que vão de 21 a 24 de junho, vão ser realizadas pela União de Freguesias Cartaxo e Vale da Pinta (UFCVP), depois de ninguém das “Gentes do Cartaxo” se mostrar interessado em levar este evento para a frente. “Fizemos várias assembleias na Associação ‘Gentes do Cartaxo’ para saber se havia alguém disponível para pegar na coletividade e fazer as Festas e eles não conseguiram”, conta Délio Pereira, explicando que, “com base nisso, nós predispusemo-nos a fazer”, tendo a decisão de levar em diante a realização das Festas da Cidade demorado mais tempo, porque “queríamos fazer uma transição de forma amistosa, para não nos travessarmos no caminho da Associação”. De futuro, Délio Pereira acredita que “se as autarquias (Junta de Freguesia e Câmara Municipal) não assumirem aqui a realização das Festas, dificilmente a Associação o conseguirá”, acrescentando que o presidente da Câmara Municipal, Pedro Ribeiro, “manifestou todo o interesse em que as festas continuem, portanto, nós a organizarmos contamos sempre com o apoio da Câmara Municipal”, até porque “o Município também tira proveito do sucesso que houver das Festas”.

A Festa, que este ano conta com “a prata da casa” e outras atrações que, “praticamente, vêm de graça, vai ser paga por ela própria com a receita dos terrados, mais uns patrocínios, porque estamos a fazer um programa à medida da carteira”, diz Délio Pereira. A autarquia prevê gastar a verba que já despendia para ajudar nas Festas, cerca de seis mil euros, resultantes de um subsídio de 2500 euros, mais o fogo de artifício e o apoio logístico. Depois, conta com o trabalho dos funcionários da Junta, assim como alguns voluntários, cerca de 20 pessoas que vêm por amor às festas da sua terra.

As festas vão decorrer com o mesmo alinhamento, a mesma definição, com um cariz essencialmente tradicional.

Curiosamente, o calendário das festas deste ano é precisamente o mesmo do primeiro ano e realizam-se nos mesmos dias da primeira edição, em 2007, e “por o calendário nos ser favorável, até dá para comemorarmos o dia 21, que é o dia de elevação do Cartaxo a cidade, e o dia 24, que é o dia do padroeiro S. João Baptista”, havendo procissão à tarde.

Mais artigos
1 De 591

Dia 21, quinta-feira, as festas abrem com a música popular do grupo Cantigas da Terra (da Associação Cultural e Recreativa “Rancho Folclórico do Cartaxo”), seguindo-se um concerto de David Antunes & The Midnight Band a favor do Jardim de Infância do Cartaxo (JIC). “Nós não temos custos nenhuns com o programa desta quinta-feira. Ele vem fazer o espetáculo na Praça de Touros, o JIC encarrega-se de fazer a cobrança das entradas. Nós cedemos o espaço e montamos o palco para o artista e beneficiamos em ter um espetáculo que para nós não tem custos e que é com um artista de renome”, reconhece Délio Pereira. O presidente fala ainda de um “parceiro importante” – “o Rancho Folclórico do Cartaxo que, desde sempre, foi quem cedeu o palco, que o monta, faz a decoração e faz o Festival de Folclore, no sábado à noite, tudo sem custos para a organização”. Depois, “temos as marchas populares da Lapa e de Pontével que também já se predispuseram a vir cá [no domingo]”, mas “não temos espaço para os fados, por serem só quatro dias de festa”, explica o presidente da Junta. De referir que haverá Corrida de Touros na sexta-feira, 22, à mesma hora que se poderá assistir ao concerto da Banda Odisseia.

Trânsito melhorado
“Vamos pegar nas festas dentro do mesmo molde”, mas com algumas alterações: “a manga sairá da praça de touros, vamos melhorar um bocadinho em termos de trânsito, porque vamos encurtar a manga”, o que permitirá que a Travessa do Quintino (que passa ao lado da Caixa de Crédito Agrícola) fique disponível para “não interrompermos o acesso aos serviços que ali se encontram”. O trânsito pode circular também na José Tagarro, que só ficará fechada nas entradas dos touros. “Será uma manga única com entrada e saída de touros diretamente ligada à porta grande da Praça de Touros”. As largadas acontecem todas as noites, exceto ao sábado que haverá largada de vacas durante a tarde.

É com grande alegria que volto a estar de forma ativa na organização das festas.

Outra novidade é o espaço de restauração no Skate Park, com mesas e lugares sentados onde serão servidas refeições, mas mantêm-se as tasquinhas que vão estar representadas pelas associações do Cartaxo, assim como a venda ambulante. “Basicamente, as festas vão decorrer com o mesmo alinhamento, a mesma definição, com um cariz essencialmente tradicional”, embora não haja desfile etnográfico porque, segundo Délio Pereira, “ainda há pouco tempo tivemos o 1º de maio, em que se celebrou o Dia do Campino e se fez o desfile”, explicando que “as Festas da Cidade tinham integrado o desfile porque houve aqui uma ausência, por parte do Município, na realização do desfile do Dia do Campino. Hoje em dia, parece que não fará grande sentido, com um mês, um mês e meio de distância, estarmos a fazer um desfile do mesmo tipo”, justifica.

O presidente da UFCVP não esconde o entusiasmo de voltar a organizar as Festas da Cidade. Recorde-se que Délio Pereira esteve na organização das Festa da Cidade desde o primeiro ano, até 2013, altura em que foi eleito presidente da Junta. Foi um projeto “iniciado por mim em 2007 em conjunto com outros colegas que compuseram depois os corpos sociais da Associação ‘Gentes do Cartaxo’ e tenho consciência de que proporcionámos bons momentos à nossa comunidade e aos visitantes de fora, também. Por isso, é com grande alegria que volto a estar de forma ativa na organização das mesmas”, lembra. E promete fazer todo o possível para que “as Festas da Cidade se vão enraizando cada vez mais”, considerando que “a autarquia, pelo menos a União de Freguesias, tem aqui uma palavra a dizer na organização destas Festas, porque se não for assim, dificilmente, conseguiremos garantir a prossecução e continuidade deste evento”. “São festas de âmbito popular, onde não há cobrança de entradas e é difícil, depois, arranjar fundos para se manter uma estrutura cultural e de atividades de animação, porque são um peso grande”, justifica, suspeitando que, com tudo isto, “pode ser o fim da associação ‘Gentes do Cartaxo’ enquanto organizador das festa das cidade”.

Programa das Festas da Cidade e de São João
quinta-feira
21 de junho
19h Abertura da Festa
21h30 Música Popular com Cantigas da Terra
22h David Antunes & The Midnight Band
23h30 Largada de Touros

sexta-feira 22 de junho
21h30 Sevilhanas
22h Corrida de Touros
22h Banda Odisseia
24h Largada de Touros

sábado 23 de junho
10h Manhã Desportiva
17h Largada de Vacas
21h30 Festival de Folclore
23h30 Espetáculo Equestre; Mesa de Tortura (Praça de Touros)
Entrada e Largada de Touros

domingo 24 de junho
10h Criança e o Cavalo
18h30 Missa seguida de Procissão
21h Marchas Populares da Lapa e Pontével
22h DF Band
23h Entrada e Largada de Touros
24h Fogo de artifício

Pode gostar também

Comentários estão fechados.